Justiça dos EUA dá início ao processo antitruste contra o Google

Justiça dos EUA dá início ao processo antitruste contra o Google
O Google solicitou acesso às informações do Departamento de Justiça, enquanto o órgão quer os dados recentes da companhia

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos realizou nesta sexta-feira (29) a primeira audiência no âmbito do processo antitruste contra o gigante de buscas Google.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

Na semana passada, departamento norte-americano processou a companhia por supostamente manter um monopólio ilegal em relação a buscas e anúncios online. O órgão acusou a empresa de usar acordos de exclusão, além de outras estratégias para barrar a entrada de novos players no segmento. O Google, por sua vez, negou as acusações e chamou o caso de “profundamente falho“.

O juiz distrital dos Estados Unidos encarregado do processo, Amit Mehta, previu diversas questões preliminares no horizonte. O magistrado apontou que a resposta por escrito da companhia do Vale do Silício ao processo do Departamento de Justiça deveria ocorrer somente em dezembro, porém perguntou se a empresa poderia, primeiramente, apresentar uma moção para por fim ao caso.

Conheça o Suno One, a central gratuita de informações da Suno para quem quer aprender a investir. Acesse clicando aqui.

O advogado do Google, , John Schmidtlein, afirmou que a empresa ainda não tomou uma decisão sobre a questão, indicando que poderia oferecer um melhor entendimento sobre seus planos em torno de 13 de novembro. “Estamos muito ansiosos e prontos e dispostos para conduzir este caso rapidamente”, declarou. “Esperamos defender este caso ao máximo. E queremos acesso a esse material para que possamos começar esse processo o mais rápido possível. ”

Google quer documento, EUA demanda dados

O advogado do Google salientou que a companhia precisa de acesso aos documentos produzidos pelo governo na investigação de 16 de meses que levou ao processo para decidir o próximo passo.

Em contrapartida, o advogado Ken Dintzer, que lidera o time do Departamento de Justiça no litígio, declarou que possuía suas próprias demandas, incluindo dados atualizados do Google, que disse não constar no material deste ano, enquanto dados significativos entregues pela empresa foram codificados, o que impediu a utilização no caso, afirmou.

Além disso, o juiz questionou Dintzer se o governo tinha a intenção de protocolar uma nova ação, estendendo as acusações antitrsute contra o Google. O advogado respondeu que “no momento não temos a intenção de emendar qualquer acusação.”

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião