Estácio e Kroton sobem com otimismo do ministro da Educação no setor

Estácio e Kroton sobem com otimismo do ministro da Educação no setor
Fala do ministro da Educação, Abraham Waintraub, acelerou ganhos da Estácio e da Kroton. (divulgação)

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, participou do 12º Congresso Brasileiro da Educação Superior Particular, em Belo Horizonte. No evento, Weintraub defendeu a expansão do ensino superior privado. Deste modo, as ações ordinárias da Estácio Participações e da Kroton Educacional apresentam significativa alta na tarde desta quinta-feira (7):

  • Estácio (ESTC3): crescimento de 7,73% a R$ 29,53.
  • Kroton (KROT3): crescimento de 3,33% a R$ 10,56.

“Esse setor vai crescer muito. E o Estado brasileiro, através dos impostos, que já estão pesados, não tem condição de atender a demanda gigantesca que vai acontecer nos próximos anos”, disse o ministro na véspera.

“Existe espaço para instituições federais e existe para as estaduais. Mas, olhando para a perspectiva do Brasil […] é muito claro que não há condição de o atual estado de contas do setor público nutrir a atual estrutura educacional estatal. Isto, para atender a demanda que vai acontecer”, defendeu Weintraub.

“O Ministério da Educação (MEC) e este governo querem dar liberdade para vocês. A liberdade para produzir, para trabalhar, para atingir os seus objetivos”, comentou o chefe da Educação, referindo-se à postura liberal adotada pelo governo do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL).

O ensino superior particular detém 75,3% do total dos alunos da categoria inscritos, conforme o Censo da Educação Superior.

Contingenciamento na educação superior

Em 20 de dezembro de 2018, a Lei Orçamentária Anual (LOA) foi aprovada com previsão de avanço do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,5% em 2019. Contudo, o crescimento do PIB do Brasil neste ano está abaixo do esperado.

Assim, o governo realizou um contingenciamento de R$ 30 bilhões do orçamento total de 2019. Isto é, readequou os gastos do governo de acordo com os recursos captados. O orçamento total aprovado para este ano para a educação é de R$ 49,621 bilhões para as 63 universidades federais. Deste total:

  • pagamento de salários (despesas de pessoal): consome R$ 42,3 bilhões ou 85,34%.
  • despesas discricionárias: consomem R$ 6,9 bilhões ou 13,83%.
  • outras despesas: consomem R$ 400 milhões ou 0,83%.

O contingenciamento foi de R$ 1,7 bilhão na educação, abrangendo os gastos não obrigatórios (discricionários). Desta forma, do total de R$ 6,9 bilhões direcionados às despesas discricionárias, o montante de R$ 1,7 bilhão equivale a 24,84%.

Do total do orçamento de 2019 destinado para a educação, o valor que foi contingenciado representa 3,34%.

A decisão de contingenciamento do Ministério da Economia provocou manifestações em pelo menos 200 cidades brasileiras, nos últimos dias 15 e 20.

Conheça a Estácio e Kroton

A Kroton Educacional é a maior empresa privada de educação do mundo. Além disso, é na educação superior do Brasil em número de alunos e receitas.

Em 2014, fundiu-se com a Anhanguera Educacional. Assim, gere as marcas:

  • Anhanguera;
  • Fama;
  • LFG;
  • Pitágoras;
  • Unic;
  • Uniderp;
  • Unime;
  • e Unopar.

Em 23 de abril de 2018, a Kroton fechou a compra do controle da Somos Educação, da Tarpon Gestora de Recursos. A Somos Educação, antiga “Abril Educação“, é dona das editoras Ática, Scipione e Saraiva, além do sistema de ensino Anglo e da escola de inglês Red Ballon.

Por sua vez, a Estácio é a segunda maior empresa de educação superior no Brasil. Foi fundada em 1970, na cidade do Rio de Janeiro, e recebe o nome em homenagem ao fundador do município: o cavaleiro português e Oficial Militar Estácio de Sá.

Amanda Gushiken

Compartilhe sua opinião