Entenda a polêmica entre o Itaú (ITUB4) e a XP Investimentos

Entenda a polêmica entre o Itaú (ITUB4) e a XP Investimentos
IDAT: Itaú (ITUB4) cria indicador de atividade econômica diária

Uma nova polêmica agitou o mercado financeiro brasileiro nessa quarta-feira (24): a do Itaú Unibanco (ITUB4) contra a XP Investimentos. E o mais irônico é que desde 2017 o banco é o maior acionistas da corretora, com 49,9% de seu capital.

Tudo começou com a nova campanha de marketing do Itaú, que foi ao ar na Rede Globo no horário nobre da última terça (23). Na propaganda, protagonizada pelo ator Marcos Veras, o banco critica o modelo de negócios das corretoras, fazendo alusões e sarcasmo sobre o papel dos agentes autônomos de investimento. E terminando dizendo como investimentos no Itaú Personnalité seriam mais seguros.

“A moda aqui em 2019 é ter conta em corretora. Assessor também tá na moda. Insiste o tempo todo, ‘investe nisso, investe naquilo, não tem risco’. Estou me sentido o rei de Wall Street”, diz o ator no começo da propaganda.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

“Aqui em 2020, deu para ver que não tinha risco para ele, que ganhava comissão por tipo de investimento. Ainda bem que você deixou seu dinheiro no Personnalité. São especialistas isentos. Aprendeu?”, responde o mesmo ator.


Segundo o banco, o modelo de remuneração dos agentes autônomos de investimento, baseado apenas em comissões e sem salário fixo, seria uma das causas que levariam esses profissionais a venderem produtos desnecessários ou até ruins para os clientes, com elevadas taxas cobradas na transação. Isso, segundo a propaganda, poderia levar o agente a oferecer os produtos que gerem maior comissão para ele, mas que não necessariamente são bons para o cliente final.

Na propaganda, o Itaú indicou como a presença de um salário fixo para os bancários do Personnalité diminuiria o incentivo para vender qualquer produto ao cliente.

A reação da XP Investimentos não demorou para aparecer. Menos de 24 horas depois, o fundador e CEO da corretora, Guilherme Benchimol, publicou uma carta em “resposta aos ataques do Itaú”.


“Estamos há 20 anos lutando contra um sistema financeiro concentrado que nunca inovou e nunca se preocupou com o que realmente importa: o cliente! Tenho certeza que os bancos preferem o Brasil do passado, com juros altos e baixa concorrência, explorando ainda mais os empresários e os investidores individuais”, escreveu o executivo no documento, “A nova campanha do Itaú ataca o comissionamento dos assessores na distribuição de produtos financeiros, como se ganhar dinheiro com o trabalho fosse errado. Sempre fomos transparentes nisso. O assessor é um empresário, um empreendedor que tem a sua própria empresa e somente sobrevive se a visão for de longo prazo, com um cliente realmente satisfeito e muita ética em todas as suas atitudes. Se ele falhar, não poderá mudar de emprego, mas, sim, fechará o seu negócio.”

Mas o fundador da XP Investimentos foi além: ele atacou as próprias operações do Itaú. Na carta, Benchimol acusou o banco de ofertar cheques especiais abusivos, empréstimos com as mais altas taxas de juros do mundo, investimentos na caderneta de poupança ou títulos de capitalizações desnecessários.


Segundo ele, somente graças ao trabalho da XP mais de 2 milhões de brasileiros estão investindo melhor hoje do que no passado, quando apenas os bancos eram os intermediários  entre as pessoas físicas e os mercados de capitais.

Saiba mais: Itaú (ITUB4) aumenta participação acionária na Usiminas (USIM5)

“A campanha do Itaú só reforça que estamos no caminho certo. Para o maior banco do país, com mais de 90 anos de tradição, ir a público e ofender uma profissão tão fundamental para o desenvolvimento financeiro dos brasileiros, é porque realmente percebeu que não consegue mais competir colocando o cliente em primeiro lugar. Tenho uma certeza: se tem algo que o banco não é, nem nunca foi, é ser feito para você”, escreveu Benchimol.

Agentes autônomos também criticam o Itaú

Além do fundador da XP Investimentos, também a Associação Brasileira de Agentes Autônomos de Investimentos (ABAAI) criticou a propaganda veiculada pelo Itaú. Em nota a ABAAI repudiou a propaganda, “injuriando o trabalho de mais de 12.000 profissionais certificados e credenciados”.

Saiba mais: Itaú (ITUB4) intenciona aderir a linhas de crédito para MPMES

“Repudiamos a propaganda veiculada em 23 de junho de 2020, em cadeia nacional, pelo Itaú Personalité, injuriando o trabalho de mais de 12 mil profissionais certificados e credenciados pela Ancord e registrados pela Comissão de Valores Mobiliários”, salientou a associação.

Segundo a ABAAI, a transparência nas informações fornecidas aos investidores é um dos pontos fundamentais da atividade dos agentes autônomos.

Saiba mais: Itaú (ITUB4) aumenta participação na Tenda (TEND3)

“Ao longo da pandemia os agentes autônomos de investimentos tiveram comportamento exemplar no relacionamento com seus clientes, colhendo frutos do trabalho de educação financeira que realizam nos quatro cantos do país”, informou a associação, “Convidamos o Itaú Personalité a aderir nessa tendência e abrir as metas de seus profissionais, muitas vezes incompatíveis com os interesses de seus clientes.”

Em nota, o Itaú salientou como “a campanha do Itaú Personnalité tem como objetivo ressaltar seus atributos positivos, como a plataforma aberta de produtos financeiros e o modelo de incentivos que tem como foco uma visão de longo prazo, além dos resultados e satisfação para o cliente. O Itaú Unibanco acredita que ética independe de modelo e há bons profissionais em todas as configurações, seja um agente autônomo ou um gerente de banco. O Itaú Unibanco está sempre aberto ao debate transparente e honesto, e não é diferente desta vez.’

Carlo Cauti

Compartilhe sua opinião