Negócios

Energisa compra 87% de empresa da Algar

0

A Energisa (ENGI4) anunciou na última sexta-feira (3) a compra de 87% do capital da Alsol Energias Renováveis, pertencente a Algar.

O valor da negociação foi de R$ 11,7 milhões. De acordo com a Energisa, o patrimônio líquido da Alsol era de R$ 11,2 milhões no final de 2018.

Saiba mais: Conselho de administração da Algar Telecom aprova aquisição da Smart

Ao todo, a  Energisa controla 11 distribuidoras no setor de geração de energia elétrica e teve receitas de R$ 15,7 bilhões em 2018. A venda marca a entrada da empresa no setor de geração distribuída.

A Alsol foi criada em 2012 pelo engenheiro Gustavo Malagolli e atua nas áreas de fontes renováveis, como solar e de biodiesel. Passou a pertencer ao Grupo Algar após receber investimentos da companhia.

Empresa de geração distribuída

Empresas de geração distribuída fazem instalações de placas solares em grandes terrenos ou em telhados de casas, prédios comerciais ou indústrias. A energia produzida pode ser direcionada aos seus clientes.

Saiba mais: Número de linhas móveis no Brasil cai 7,2 milhões em 2018, diz Anatel

Desde que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) regulou o setor, as instalações entre clientes tem crescido.  De acordo com dados da agência, atualmente existem 72,1 mil instalações de geração distribuída no Brasil, gerando o equivalente a 872 megawatts em capacidade. Desses, 739 são oriundas de tecnologia solar.

A Aneel já discute novas regras para aperfeiçoar o funcionamento do sistema. Multinacionais de energia que possuem operação no Brasil, como a francesa Engie e a norte-americana AES já possuem planos para a geração distribuída.

Recentemente, a japonesa Mitsui comprou a fatia da Órigo Solae, do fundo americano TPG.

Saiba mais: Enel reverte prejuízo e registra lucro de R$ 69 milhões no 1º trimestre

No acumulado de 2018, o lucro líquido da Energisa foi de R$ 1,179 bilhões, crescimento de 106% em relação a 2017.

Compartilhe a sua opinião

Renan Dantas
Escreve sobre política e mercado financeiro para o portal Suno Notícias. Antes, atuou na assessoria de comunicação do Ministério Público do Trabalho e na Rádio Mackenzie, onde apresentava e produzia um programa sobre artistas da música brasileira. É estudante na Universidade Presbiteriana Mackenzie.