Internacional

Empresa de desafeto de Bezos tem US$ 1,3 bi em dívidas, diz Bloomberg

0

A editora do tabloide National Enquirer, cujo dono David Pecker esteve no centro de uma enorme polêmica nos últimos dias, não vai nada bem financeiramente.

No centro dos holofotes por um escândalo denunciado por Jeff Bezos, fundador da Amazon,American Media Inc (AMI) está com mais de US$ 1 bilhão em dívidas e um patrimônio líquido negativo. Ou seja, mesmo se ela vender todos os seus ativos não conseguiria quitar o valor das obrigações com terceiros.

Saiba mais: Fundador da Amazon denuncia chantagem e extorsão

A empresa de Pecker registrou prejuízo de US$ 31,5 milhões no semestre encerrado em 30 de setembro, de acordo com documentos analisados pela agência Bloomberg. Mesmo negativo, tratou-se de um resultado melhor do o aferido no ano anterior. As perdas nos últimos cinco anos, no entanto, somam US$ 256 milhões. O valor é US$ 203 milhões superior ao que seus ativos valiam.

Além dos resultados vermelhos, a editora está sob ataque de Jeff Bezos, que também é dono do jornal Washington Post. O bilionário publicou um post na semana passada acusando Pecker de chantagem. Segundo Bezos, o dono da AMI ameaçou publicar fotos sexuais de seu caso extraconjugal.

Saiba mais: Jeff Bezos, fundador da Amazon, anuncia seu divórcio

Bezos, ao contrário de David Pecker, possui recursos para uma batalha jurídica. Somente na última segunda (11), a riqueza do fundador da Amazon aumentou mais do que toda a receita da AMI no primeiro semestre do ano fiscal. Atualmente, ele detém a fortuna de cerca de US$ 137 bilhões (cerca de R$ 505 bilhões).

A disputa com Bezos só piorou a última temporada para a AMI. A editora abusou dos empréstimos e aumentou sua dívida para mais de US$ 1,3 bilhão atualmente. O diretor financeiro da empresa, Chris Polimeni, disse que boa parte dessa dívida vem de sua controladora, a Worldwide Media Services Group Inc.

Saiba mais: Trump chama Jeff Bezos de ‘Bozo’ em meio a divórcio do empresário

Relembre o caso de Jeff Bezos e David Pecker

O fundador da Amazon, Jeff Bezos, acusou no início de fevereiro o tabloide The National Enquirer de chantagem e tentativa de extorsão.

O homem mais rico do mundo denunciou que teria sido ameaçado pela American Media Inc. (AMI), editora do “The National Enquirer“. A chantagem contra Jeff Bezos envolveria a publicação de fotos íntimas que ele enviou para Lauren Sanchez. O fundador da Amazon e Sanchez mantiveram um caso extraconjugal.

Saiba mais: Jeff Bezos, fundador da Amazon, anuncia seu divórcio 

Em um longo artigo, o bilionário acusou David Pecker, dono da AMI de ter ameaçado de publicar as imagens. Pecker teria intimado Bezos a parar a investigação sobre como a editora teria obtido as mensagens privadas que o magnata trocou com Sanchez.

Os detalhes da relação entre Bezos e Sanchez, ex-apresentadora, foram divulgados pelo “The National Enquirer“. O dono da Amazon anunciou no mês passado que estava se divorciando de sua esposa, MacKenzie Bezos, após 25 anos de casamento. No mesmo dia do anúncio, o tabloide publicou informações sobre seu caso extra-conjugal e fotos e mensagens trocadas pelo casal de amantes.

Por isso, o dono da Amazon iniciou  iniciar uma investigação contra a editora do jornal. Segundo Bezos, a cobertura de seu divórcio teve “motivações políticas”. Isso porquê o dono da AMI é amigo pessoal de Donald Trump, enquanto Bezos é dono do jornal “The Washington Post“. O diário sempre foi muito crítico com o presidente dos Estado Unidos.

Segundo Bezos, a AMI pretendeu que ele negasse publicamente qualquer motivação ou influência política na cobertura de seu divórcio. Caso contrário teria publicado as fotos íntimas.

O dono da Amazon escreveu que nos documentos da AMI que ele estava publicando era possível encontrar “detalhes precisos da proposta de extorsão” “As comunicações cimentam a reputação de longo tempo conquistada pela AMI de instrumentalizar privilégios jornalísticos, se escondendo por trás de importantes proteções, e ignorando os princípios e propósitos do verdadeiro jornalismo”, informou Bezos, “Claro, eu não quero fotos pessoais publicadas, mas eu também não vou participar de sua prática bem conhecida de chantagem, favores políticos, ataques políticos e corrupção.”

Bezos também escreveu que a AMI salientou como o conteúdo das fotos colocaria em xeque sua capacidade de julgamento e decisão nos negócios. E isso seria um problema para ele junto aos acionistas da Amazon.

A AMI ainda não se pronunciou sobre as acusações feitas por Bezos.

Questão patrimonial

Jeff Bezos é o homem mais rico do mundo. Sua fortuna é avaliada pela revista “Forbes” em US$ 137 bilhões (cerca de R$ 505 bilhões). Para ter uma ideia, o Brasil gasta todos os anos cerca de R$ 27 bilhões com o programa Bolsa Família e R$ 117,2 bilhões em educação.

O patrimônio pessoal do bilionário foi acumulado graças a sua participação acionária na empresa que fundou e que dirige. A Amazon está entre as empresas mais valiosas de Wall Street, com uma capitalização de US$ 811,5 bilhões.

O divórcio do casal Bezos terá consequências patrimoniais. Se Jeff e MacKenzie dividirem a fortuna de forma igual, ela ficará com US$ 69 bilhões. Dessa forma, ela se tornaria a mulher mais rica do mundo. Mas essa divisão de bens deixara novamente Bill Gates o homem mais rico do mundo, com US$ 92,5 bilhões. O fundador da Amazon tinha superado o fundador da Microsoft em outubro de 2017.

Compartilhe a sua opinião

Guilherme Caetano
Formado em jornalismo pela Escola de Comunicações e Artes da USP, Guilherme Caetano escreve para o portal de notícias da Suno Research. Passou pelas redações da Folha de S.Paulo e da revista Época.