Negócios

Embraer investirá US$ 30 milhões em unidade no interior de São Paulo

0

A Embraer anunciou que investirá US$ 30 milhões (cerca de R$ 121 milhões) para expandir uma unidade em São José dos Campos, em São Paulo. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (19) durante a comemoração de 50 anos da companhia.

A unidade de Eugênio de Melo, onde serão investidos os recursos, deve se tornar o novo centro de tecnologia e engenharia da Embraer. A expectativa é que as obras terminem no quarto trimestre deste ano.

O valor será utilizado para a construção de quatro novos prédios. Assim, o número de funcionários da companhia deve aumentar em mais de 2,5 mil profissionais.

As áreas de investimento incluem manufatura, engenharia, testes estruturais, centro de formação de pessoas e áreas de administração e pesquisa.

Segundo o presidente da Embraer, Francisco Gomes Neto, o investimento na região reforça o compromisso com a comunidade local. Além disso, faz parte do plano de crescimento da empresa.

Estrutura dos novos prédios

O centro global de engenharia e tecnologia da companhia ficará em um dos novos prédios.

Uma outra unidade será responsável pelo atendimento e treinamento dos clientes. As instalações contarão com simuladores de voo e tecnologias para instruir procedimentos técnicos aos operadores de aviões.

Um dos prédios será direcionado para as áreas administrativas. Além disso, a Embraer também construirá um centro histórico com informações sobre os 50 anos da empresa e o desenvolvimento do setor aéreo no País nesse período.

Boeing e Embraer

Após a fusão entre a Boeing e a Embraer, o polo de São José, onde são desenvolvidos os jatos comerciais da Embraer, será transferido para Boeing Brasil-Commercial.

A Embraer continuará com a fábrica de Gavião Peixoto, em São Paulo, responsável pela divisão militar. A empresa também cuidará da unidade de jatos executivos.

Saiba mais: Embraer lança primeiro jato militar após fusão com a Boeing

Em janeiro deste ano, as duas empresas assinaram os termos do acordo do controle dos negócios da aviação comercial. O acordo é avaliado em aproximadamente US$ 4,2 bilhões.

A partir do final de maio as operações de aviação civil da Embraer passaram a se chamar Boeing Brasil – Commercial. Foi esse o nome escolhido para a nova empresa resultante da compra da divisão de aviação civil pela Boeing.

Compartilhe a sua opinião

Giovanna Almeida
Giovanna Oliveira escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, foi repórter do portal de jornalismo da ESPM-SP e produziu conteúdo para a Corinthians TV. É estudante da ESPM.