Embraer (EMBR3) cancela encontro com sindicato e pede mediação do TRT

Embraer (EMBR3) cancela encontro com sindicato e pede mediação do TRT
A Embraer (EMBR3) comunicou que a decisão foi tomada devido à divulgação de “informações falsas e manipuladas" por parte do sindicato

A Embraer (EMBR3) cancelou nesta quarta-feira (4) uma reunião marcada junto ao Metalúrgicos de São José dos Campos (SP) e pediu a intermediação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para dar continuidade às negociações.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

A Embraer informou que a medida foi tomada em vista de “informações falsas e manipuladas divulgadas pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, relativas ao processo de reestruturação pelo qual passa a empresa”.

O sindicato divulgou nota nesta quarta-feira alegando que a fabricante do setor aeroespacial paga “supersalários” a funcionários da empresa e informou que os trabalhadores fizeram uma proposta de teto de R$ 50 mil para a remuneração mensal na companhia. Os números apontados pela entidade, no entanto, diferem daqueles comunicados pela empresa nos documentos enviados à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Em razão do cancelamento da reunião, a Justiça do Trabalho marcou um novo encontro virtual para terça-feira. As negociações serão mediadas pelo TRT da 15ª Região e deverão dar continuidade às conversas que já estavam em curso.

Embraer comunica demissão de 2,5 mil funcionários

A fabricante brasileira anunciou na última quinta-feira (3) a demissão de 2,5 mil funcionários em sua unidade no Brasil. A Embraer informou que serão cortados 1,6 mil trabalhadores em adesões ao programa de demissões voluntárias (PDV), encerrado na última quarta-feira (2), e mais outros 900 por dispensa para ajuste do quadro de empregados.

A companhia alegou que a medida é resultado dos impactos causados pela pandemia do novo coronavírus e pelo cancelamento da parceria com a Boeing.

Em resposta, os funcionários da emprega aprovaram nesta sexta-feira em assembleia uma greve organizada pelo sindicato dos metalúrgicos e engenheiros de São José dos Campos (SP). Dessa forma, como a legislação proíbe a demissão de grevistas, a Embraer não poderá realizar os cortes.

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião