Mercado

Dólar encerra em queda após Fed cortar taxa de juros

0

O dólar encerrou em queda, nesta quarta-feira (30), após o Federal Reserve (Fed) realizar um novo corte na taxa de juros dos Estados Unidos.

A moeda norte-americana fechou em baixa de 0,397%, negociada a R$ 3,9873. Ao longo do dia, a cotação máxima do dólar foi de R$ 4,0287, por volta das 15h40. A mínima foi de R$ 3,9874, às 16h40.

Os investidores também estão aguardando a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre os juros no Brasil.

No cenário externo, um possível acordo comercial entre Estados Unidos e China e o crescimento da economia norte-americana movimentaram o mercado.

Corte na taxa de juros dos Estados Unidos

O Federal Reserve (Fed), o banco central estadunidense, decidiu cortar a taxa de juros em um quarto de ponto percentual. Dessa forma, a taxa básica passou do intervalo de 1,75% a 2% para uma banda entre 1,5% e 1,75%.

Saiba mais: Fed corta taxa de juros dos EUA pela terceira vez consecutiva

Este é o terceiro corte seguido realizado no ano. A votação sobre o corte não foi unânime e dois membros do comitê foram contra a redução. São eles: Esther George e Eric Rosengren.

Na última terça-feira (29), o presidente Donald Trump pressionou o Federal Reserve pro meio de uma rede social. O mandatário afirmou que os Estados Unidos deveriam seguir o exemplo dos outros países com taxas de juros negativas.

Acordo comercial

O governo dos Estados Unidos informou que espera assinar um acordo comercial inicial com a China no próximo mês, mesmo após o cancelamento da cúpula da Apec no Chile. As autoridades de ambos os países pretendiam finalizar o pacto relacionado à guerra comercial no evento.

Saiba mais: Guerra comercial: EUA ainda esperam acordo com China em novembro

Os EUA salientaram que a cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico ainda não tem um local alternativo para que possa ocorrer do dia 11 ao dia 17 de novembro, após o governo chileno cancelar o plano de sediar o encontro com os líderes mundiais que marcaria um acordo na guerra comercial.

O governo norte-americano salientou: “Estamos ansiosos para finalizar a fase um do histórico acordo comercial com a China dentro do mesmo período de tempo”.

Crescimento da economia dos Estados Unidos

O Departamento de Comércio dos Estados Unidos informou que o  Produto Interno Bruto (PIB) dos país cresceu 1,9% no terceiro trimestre deste ano. De acordo com a “Bloomberg”, a expectativa de especialistas era um crescimento de 1,6% dos EUA.

Saiba mais: Economia dos EUA supera expectativas e cresce 1,9% no terceiro trimestre

O resultado positivo se dá pela continuidade dos gastos dos consumidores, que aumentou a uma taxa de 2,9%, excedendo as estimativas para um aumento de 2,6%. Para as empresas, o investimento fixo não residencial caiu para o menor nível desde o final de 2015.

As exportações líquidas foram um entrave a uma maior expansão, recuando 0,08 ponto percentual, uma vez que os estoques elevados também influenciaram. Os gastos federais geraram um ganho no consumo do governo.

Última cotação do dólar

Na última sessão, terça-feira (29), o dólar encerrou em alta de 0,283%, negociado a R$ 4,0032.

Compartilhe a sua opinião

Giovanna Almeida
Giovanna Oliveira escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, foi repórter do portal de jornalismo da ESPM-SP e produziu conteúdo para a Corinthians TV. É estudante da ESPM.