Mercado

Dólar encerra em queda após autorização da OMC à China

0

O dólar fechou em queda, nesta sexta-feira (01), sob impacto da autorização da OMC à China impor tarifas alfandegárias contra os EUA.

O dólar encerrou em queda de  -0,352% sendo cotado a R$ 3,9950. Na semana teve queda de 0,36%.

Além disso, contribuíram para a queda:

  • Balança comercial tem superávit de US$ 1,2 bi em outubro;
  • Produção industrial cresce pelo 2º mês consecutivo, aponta IBGE.

Guerra comercial

A Organização Mundial do Comércio (OMC) autorizou, nesta sexta, a China a impor tarifas alfandegárias contra os Estados Unidos no valor de US$ 3,6 bilhões ao ano, em um litígio sobre medidas antidumping aprovadas por Washington que ocorreu há seis anos. A autorização marca uma nova fase da guerra comercial.

Saiba mais: OMC autoriza China a impor tarifas alfandegárias contra os EUA

É a primeira vez que a OMC concede uma autorização à China para sancionar produtos norte-americanos. Pequim havia solicitado uma quantidade de possíveis represálias de US$ 7 bilhões por ano.

Os EUA não podem mais recorrer dessa decisão. Já a China pode aplicar total ou parcialmente o montante de US$ 3,6 bilhões.

Balança comercial

A balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 1,206 bilhão em outubro. O resultado foi o pior no décimo mês do ano em 2014, impactado por queda acentuada nas exportações.

Saiba mais: Balança comercial tem superávit de US$ 1,2 bi em outubro

O resultado da balança comercial foi divulgado nesta sexta-feira (1) pelo Ministério da Economia. O superávit estava dentro das previsões dos analistas de um saldo positivo de US$ 1,25 bilhões.

As exportações em outubro caíram 20,4% em comparação com o mesmo mês do ano passado. A média diária das exportações foi de US$ a 18,231 bilhões.

Produção industrial

A produção industrial brasileira do mês de setembro subiu 0,3% em comparação ao mês anterior (agosto). Esta foi a segunda vez consecutiva que a taxa apresentou variação positiva, acumulando 1,5% no período. Um dos fatores responsáveis pela alta é a produção de veículos automotores, que registrou crescimento de 4,3%. Os dados foram divulgados nesta sexta pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Saiba mais: Produção industrial cresce pelo 2º mês consecutivo, aponta IBGE

No mesmo período do ano passado, entretanto, a produção industrial cresceu 1,2%. O gerente da pesquisa do IBGE, André Macedo, afirmou que o crescimento por dois meses seguidos não acontecia desde março e abril de 2018. “A observação é que esse crescimento está concentrado em poucas atividades: 11 das 26 atividades mensuradas pela pesquisa. O ideal é que atinja um número maior de setores”, disse Macedo.

Última cotação do dólar

Na última sessão, quinta-feira, o dólar encerrou o pregão em alta de 0,547% sendo vendido a R$ 4,0091.

Compartilhe a sua opinião

Rafael Lara
Rafael Lara cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Escreve sobre política, economia e negócios para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na TV Gazeta na produção do programa Edição Extra.