Dólar opera em alta de 0,2%, negociado a R$ 5,30, com exterior no radar

Dólar opera em alta de 0,2%, negociado a R$ 5,30, com exterior no radar
O dólar abriu em leve queda nesta segunda-feira (5). Por volta das 9h35, a moeda norte-americana apresentava uma baixa de 0,07%.

O dólar opera em alta nesta quinta-feira (10) com a política monetária da Europa no radar.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

Por volta das 9h30, o dólar registrava alta de 0,209%, sendo negociado a R$ 5,30. O mercado internacional acompanha as decisões de políticas monetárias do Banco Central Europeu em razão da escalada do euro, o que pode enfraquecer a economia europeia.

O governo federal brasileiro decidiu zerar as tarifas de importação do arroz, com o objetivo de conter a subida de preços. Além disso, vendas no varejo no Brasil em julho cresceram 5,2%.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Política monetária da Europa

O mercado internacional acompanha as decisões monetárias do Banco Central Europeu (BCE). A análise do mercado é que a instituição terá dificuldade em enfraquecer o euro. A cotação, que estava a US$ 1,06 por euro, em março, e na semana passada alcançou a marca de US$ 1,20.

A alta da moeda pode sobrecarregar a economia da Europa e tornar as exportações menos competitivas. Dessa forma, as autoridades monetárias estão, neste momento, mais preocupadas com a escalada do euro do que com os impactos da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Mercado internacional

O mercado internacional opera em campo distinto. Por volta das 7h40, os índices registravam as seguintes variações

  • Nova York (S&P 500): -0,33%
  • Nova York (Dow Jones): -0,31%
  • Nova York (Nasdaq): -0,32%
  • Frankfurt (DAX 30): +0,21%
  • Paris (CAC 40): +0,21%
  • Xangai (SSEC): -0,61%
  • Hong Kong (Hang Seng): -0,64%
  • Tóquio (Nikkei 225): -0,88%

Preço do Arroz

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) decidiu na última quarta-feira (9) zerar a tarifa de importação do arroz. O governo estabeleceu uma cota de 400 mil toneladas do produto até o fim do ano que pode entrar no País sem a taxa. De acordo com o órgão, o montante vale para o arroz com casca e o beneficiado. A medida começa a valer nesta quinta-feira (10) após Comitê Executivo de Gestão da Camex ter divulgado a publicação no Diário Oficial da União (DOU).

De acordo com fontes do Ministério da Agricultura, o total liberado é considerado suficiente para ajudar a conter a subida no preço do arroz no varejo e garantir que não faltará produto nas prateleiras. Neste ano, até agosto, o Brasil importou 45.087 toneladas de arroz com casca e 372.890 toneladas de arroz beneficiado (sem casca, parbolizado e polido).

O produto tem pouca importação no Brasil – a ideia é justamente tirar a taxa para que aumente a compra enquanto os preços internos estão altos. A alíquota de importação de países de fora do Mercosul é de 12% para o arroz.

vendas no varejo cresceram 5,2% em julho

O comércio varejista registrou uma alta no volume de vendas em julho frente ao mês de junho. O avanço nas vendas no varejo foi de 5,2% em relação ao mês anterior, na série com ajuste sazonal. Na série sem ajuste sazonal, em relação a julho do ano passado, o comércio varejista cresceu 5,5%. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No comércio varejista ampliado, que considera veículos, motos, partes e peças e de material de construção, o volume de vendas teve alta de 7,2% em relação a junho, enquanto a média móvel do trimestre foi 11,2%. Frente a julho do ano passado, o varejo ampliado cresceu 1,6%, interrompendo a sequência de quatro meses em queda. O acumulado nos últimos 12 meses foi de -1,9%.

De acordo com o IBGE, este é o terceiro mês consecutivo que os resultados mostram um menor impacto da pandemia de coronavírus no comércio, em decorrência do afrouxamento das medidas de isolamento social. Em junho deste ano, a alta frente ao mês anterior foi de 8,5% e, em maio, o avanço foi de 13,3% nas vendas no varejo. No acumulado dos últimos 12 meses, o crescimento foi 0,2%.

Última cotação do dólar

Na última sessão, quarta-feira, o dólar encerrou em queda de 1,234, a R$ 5,30.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião