Dólar em queda com acordo comercial, ata do Copom e dados da China

Dólar em queda com acordo comercial, ata do Copom e dados da China
Dólar encerra em queda de 0,935%, cotado em R$ 5,1583

O dólar inicia em queda nesta terça-feira (5) refletindo o cenário externo e interno.

Por volta das 9h40, o dólar registrava -0,227% sendo negociado a R$ 4,0025. O mercado está reagindo positivamente aos avanços do acordo comercial entre a China e Estados Unidos.

Além disso, segue no radar dos investidores, a possibilidade de um novo corte na Selic. Ademais, a China decidiu reduzir a taxa básica de juros pela primeira vez em quatro anos.

Acordo comercial

A China tem pressionado o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a retirar mais tarifas que foram impostas em setembro, como parte da “fase 1” de um acordo comercial.

Confira Também: Agenda do Dia: Eletrobras; Petrobras; Uber; Magazine Luiza

Por sua vez, o secretário de comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross,  informou que a “fase 1” do tratado esta adiantado, na última segunda-feira (4). “Estamos confortáveis de que a fase 1 esteja bem. Estamos em boa forma, estamos fazendo um bom progresso”, informou Ross. Na próxima sexta-feira (8), os negociadores dos EUA e da China devem conversar por telefone.

Ata do Copom sinaliza corte na Selic

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) divulgou nesta terça a ata da última reunião. No último dia de outubro, o comitê reduziu a taxa básica de juros (Selic) para 5% ao ano, com corte de 0,5 ponto percentual.

Os analistas entrevistados pelo BC estimam que a economia brasileira deve apresentar crescimento no terceiro trimestre e pode acelerar nos períodos seguintes. Dessa forma, há uma expectativa de uma nova redução na Selic.

Taxa de juros e índice de serviços da China

O Banco Central da China reduziu pela primeira vez desde 2015 a taxa de juros. O objetivo é de reduzir os custos de financiamento para as empresas em meio à desaceleração econômica.

Confira Também: OMC autoriza China a impor tarifas alfandegárias contra os EUA

A instituição financeira informou em comunicado que reduzirá a taxa de empréstimos de médio prazo de um ano de 3,3% para 3,25%.

Além disso, a atividade de serviços do país asiático avançou em um ritmo mais lento em oito meses. O indicador do setor de serviços caiu 51,3 pontos em setembro para 51,1 em outubro.

Última cotação do dólar

Na última sessão, segunda-feira (4), o dólar encerrou o pregão em alta de 0,428%, negociado a 3,9812.

Tags
Poliana Santos

Compartilhe sua opinião