Mercado

Dólar fecha quarta-feira em queda de 1,79% com incertezas do Brexit

0

O dólar encerrou, nesta quarta-feira (3), em queda de -1,787%. A moeda norte-americana fechou o pregão cotada em R$ 4,1051 na venda.

A cotação máxima do dólar nesta quarta-feira foi de R$ 4,1666. A mínima foi de R$ 4,0979, por volta das 14h20.

Os investidores continuam acompanhando as novidades do Brexit e a tramitação da reforma da Previdência no Senado. Além disso, as novas falas sobre corte de juros nos EUA também influenciaram a moeda.

Veja também: CVM apura movimentação atípica de papéis da controladora do Banco Alfa

Brexit pode ser adiado para 2020

O Parlamento britânico decidiu, nesta quarta-feira (4), que o país será proibido de sair da União Europeia (UE) sem um acordo com o bloco regularizando a relação futura entre ambos. A aprovação do projeto é mais uma derrota para o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, defensor do Brexit a qualquer custo.

O projeto, que vai contra os ideais do defensor do Brexit, obteve grande apoio da oposição e de uma parcela de integrantes do próprio Partido Conservador. Foram registrados:

  • 329 votos a favor
  • 300 contra a medida.

Com a aprovação da proposta, o Brexit pode ser adiado para 2020, o que eleva a incerteza sobre o futuro do país.

Veja também: Ações da Sinqia disparam: é uma bolha? 

Reforma da Previdência

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou o texto-base da reforma da Previdência nesta quarta-feira (4). Desta forma, terá início a análise dos destaques, que tem como objetivo mudar o texto do relator Tasso Jereissati. O relatório foi aprovado por 18 votos a 7.

Mais cedo, nesta quarta-feira, o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre, afirmou que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) paralela seria desmembrada e votada na CCJ. Alcolumbre declarou que tentaria fazer com que a reforma da Previdência e a PEC paralela fossem votadas até o dia 10 de outubro.

Veja também: Swiss Re vende sua participação na SulAmérica 

Fed e novo discurso sobre taxa de juros

O presidente do Federal Reserve (Fed) de Nova York, John Williams, afirmou, nesta quarta-feira (4), que irá agir conforme apropriado para evitar que os Estados Unidos entre em uma crise econômica.

Williams ainda disse que os políticos devem ser mais flexíveis quando o assunto é decisão de política monetária. “Precisamos considerar todas as informações disponíveis e ser flexíveis em nossa resposta”,  afirmou o presidente do Fed de Nova York.

Última cotação do dólar

Na última sessão, na terça-feira (3), o dólar encerrou em leve queda de -0,086% com sua venda a R$ 4,1798.

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.