Mercado

Dólar sobe 0,673% a R$ 5,7609 com incertezas sobre pandemia

0

O dólar encerrou as negociações desta terça-feira (19) em alta de 0,673%, cotado a R$ 5,7609 na venda, com a preocupação com os impactos da pandemia e as tensões políticas internas.

O dólar voltou a subir em vista das incertezas políticas causadas pela preocupação com os possíveis efeitos da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

No cenário doméstico, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, publicou um decreto que visa adiantar os feriados de Corpus Christi e Consciência Negra para quarta-feira e quinta-feira. O objetivo é tentar criar um feriado prolongado de seis dias, para estimular as pessoas a respeitar as medidas de isolamento social e conter a propagação do coronavírus.

Garanta acesso gratuito à eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas com um único cadastro. Clique para saber mais.

Ao mesmo tempo, no âmbito internacional, os investidores ficaram atentos às notícias do desenvolvimento da vacina contra o novo vírus. Enquanto, o mercado ainda revela cautela quanto uma possível segunda onda de contágio de coronavírus, bem como outros impactos das medidas de reabertura da economia anunciadas por alguns países.

Dessa forma, confira as principais notícias que mexeram com o câmbio nesta terça-feira:

  • BCE pode prolongar programa de compras de títulos se necessário
  • Brasil faz pedido de adesão ao pacto de compras governamentais da OMC
  • OMS vai investigar início do coronavírus na China

BCE pode prolongar programa de compras de títulos se necessário

O economista-chefe do Banco Central Europeu (BCE), Philip Lane, afirmou que a instituição pode aumentar seu programa de compras emergenciais de pandemia “o quanto for necessário e por quanto tempo for necessário”.

Saiba mais: BCE pode prolongar programa de compras de títulos pelo tempo que for necessário

Lane completou dizendo que “isso inclui o aumento do tamanho do PEPP (programa de compras emergenciais de pandemia) e o ajuste de sua composição, tanto quanto for necessário e por quanto tempo for necessário”.

Brasil faz pedido de adesão ao pacto de compras governamentais da OMC

O Brasil submeteu nesta terça-feira seu pedido de adesão ao acordo de compras governamentais (ACG, ou GPA na sigla em inglês), um tratado anticorrupção, da Organização Mundial do Comércio (OMC). Vale destacar que o. País é o primeiro da América Latina a tomar essa iniciativa.

Saiba mais: Brasil faz pedido de adesão ao pacto de compras governamentais da OMC

“O pedido de adesão do Brasil é histórico e reconhece a importância e a relevância do acordo”, afirmou Carlos Vanderloo, presidente do Comitê de Compras Governamentais da OMC.

OMS vai investigar início do coronavírus na China

A Organização Mundial da Saúde (OMS) vai investigar ações tomadas para conter o novo coronavírus (covid-19) em todo o mundo e principalmente na China.

Cerca de 100 países se uniram para apoiar um pedido de investigação independente sobre a resposta inicial da China para o coronavírus. A proposta foi feita pela Austrália, apoiada pelos Estados Unidos e levada adiante pela União Europeia.

Saiba mais: OMS vai investigar início do coronavírus na China

As tensões internacionais entre as duas maiores potencias do mundo escalaram após o presidente norte-americano, Donald Trump, culpar a China pela pandemia do novo coronavírus.

Última cotação do dólar

Na última sessão, segunda-feira (18), o dólar encerrou em queda de 2,033%, cotado a R$ 5,7205.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Arthur Oliveira
Arthur Oliveira escreve sobre política, economia e negócios para o portal de notícias da Suno Research. Atualmente, é estudante de jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero.