Mercado

Dólar encerra em queda de 1,1%, cotado em R$ 5,08

0

O dólar encerrou nesta terça-feira (24) em queda de 1,123%, negociado a R$ 5,0808 na venda.

O otimismo do mercado, que contribuiu para a queda do dólar, foi impulsionado pela expectativa que o Senado dos Estados Unidos aprove um pacote de estímulos econômicos ainda nesta terça-feira. A proposta foi rejeitada duas vezes nos últimos dias por impasses entre democratas e republicanos.

Além disso, as seguintes notícias estiveram no radar dos investidores nesta terça:

  • Fed anuncia novas medidas para conter impactos do coronavírus;
  • Banco da Inglaterra anuncia operação de recompra reversa.

Senado deve aprovar pacote de estímulos

O Senado dos Estados Unidos rejeitou na última segunda-feira (23) um pacote de estímulos econômicos de US$ 1,6 trilhão para combater os efeitos do coronavírus. Antes disso, a proposta já havia sido rejeitada no domingo (24) por impasses entre republicanos e democratas.

Entretanto, o líder democrata no Senado, Chuck Shumer, afirmou que um acordo está muito próximo. Com isso, o mercado está otimista para que a medida seja aprovada ainda nesta terça-feira.

O otimismo fez com que os principais indicadores dos EUA operassem em alta. Confira as pontuações dos índices acionários do país:

Fed aprofunda programa de estímulos econômicos

Os investidores também estão acompanhando as medidas anunciadas pelo Federal Reserve (Fed), o banco central norte-americano, para combater os impactos do coronavírus.

“Black Friday” na B3 | Saiba como usar o fator Coronavírus a seu favor tendo acesso aos melhores investimentos do mercado

Na última segunda-feira (23), a autoridade monetária anunciou a ilimitada de títulos do tesouro americano. A instituição irá adquirir US$ 375 bilhões (R$ 1,8 trilhão) em Tesouro americano (Treasuries) e US$ 250 bilhões (R$ 1,2 trilhão) em título hipotecários.

Além disso, o presidente do Fed, Jerome Powell, afirmou que fará o que for preciso para ajudar a economia dos EUA em meio a crise motivada pela pandemia. Segundo Powell, o banco central dos EUA garantirá empréstimos estudantis, com cartão de crédito e garantidos pelo governo norte-americano para micro e pequenas empresas.

Banco da Inglaterra faz recompra reversa

O Banco da Inglaterra (Boe, na sigla em inglês) anunciou que irá realizar operações emergenciais de recompra reversa de ativos, para garantir a liquidez dos mercados financeiros.

Saiba mais: Banco da Inglaterra anuncia operação de recompra reversa

A medida do Banco Central (BC) britânico a crescente demanda dos negócios por liquidez observada nos últimos dias. A ação do BoE acontece em meio a turbulência nos mercados devido à crise do novo coronavírus.

A operação será feita nos dias de 26 de março e 2 de abril, com reservas por um período de três meses, sem limite de oferta. A instituição financeira central também destaca que a liquidez pode ser garantida de outro modo, por meio da operação da rede de swap cambiais do banco britânico.

Última cotação do dólar

Na última sessão, sexta-feira (24), o dólar encerrou em alta de 2,21%, cotado em R$ 5,13.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Giovanna Oliveira
Giovanna Oliveira escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, foi repórter do portal de jornalismo da ESPM-SP e produziu conteúdo para a Corinthians TV. É estudante da ESPM.