Mercado

Dólar cai 0,13% com sinal de trégua na guerra comercial

0

O dólar encerrou em queda de -0,132% nesta sexta-feira (27), sendo negociado a R$ 4,1563. A cotação máxima foi de R$ 4,1665, por volta das 14h. A mínima foi de R$ 4,1488, às 12h30.

A baixa do dólar está relacionada com um novo capítulo da guerra comercial entre Estados Unidos e China.

Os investidores estão acompanhando também uma possível redução na taxa de juros do Banco da Inglaterra. Além disso, a compra de parte da Latam pela Delta segue no radar do mercado.

No cenário interno, a queda na taxa de desemprego fez com que os investidores reagissem positivamente.

Guerra comercial entre Estados Unidos e China

Após o presidente americano Donald Trump conceder isenções de tarifas alfandegarias sobre os produtos chineses, a China informou que está disposta a comprar mais mercadorias americanas.

Saiba mais: China está disposta a comprar mais produtos americanos, diz ministro chinês

De acordo com o assessor de Estado e ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, o governo Trump demonstrou “boa vontade”. “Então, do lado chinês, estamos dispostos a comprar mais produtos dos EUA que são necessários ao mercado chinês”, disse Yi durante a Assembleia da ONU.

Além disso, o ministro informou que o acordo comercial entre as duas maiores economias do mundo avançará se “tomarem medidas mais entusiasmadas”.

Redução de juros na Inglaterra

O membro externo do comitê de política monetária do Banco da Inglaterra, Michael Saunders, disse que as indefinições que rodeiam o Brexit “provavelmente continuarão mantendo o crescimento da economia britânica abaixo do potencial por algum tempo.”

Saiba mais: Banco da Inglaterra pode reduzir juros conforme andamento da economia global

Para Saunders, caso a economia global permaneça demonstrando uma baixa perspectiva de crescimento, poderão ocorrer novos “relaxamentos na economia”, que seriam cortes na taxa de juros.

“Em um cenário assim – não um Brexit sem acordo, mas persistência de altas incertezas – provavelmente será apropriado manter uma postura de política monetária expansionista e talvez ampliar o relaxamento,” disse o membro da instituição monetária.

Entrada da Delta na Latam

Após a Delta adquirir participação na Latam, a empresa chilena de linhas aéreas pode chegar a faturar US$ 250 milhões por ano.

Saiba mais: Latam pode adquirir US$ 250 milhões por ano, após entrada da Delta

De acordo com o presidente da Latam, as empresas devem anunciar o pedido de autorização para a operação nesta sexta-feira (27), nos Estados Unidos. O pedido tem prazo prévio de 45 dias para ser avaliado.

Segundo Cueto, espera-se que a maioria dos acionistas da Latam tenham participação na oferta, já que o prêmio sobre os papéis é de 77%. Isso porque a Delta ofertou US$ 16 por ação da Latam, levando em conta a média das cotações do último mês.

Queda do desemprego

A taxa de desemprego do Brasil caiu novamente e ficou em 11,8% no trimestre encerrado em agosto, após ficar em 12,3% no trimestre finalizado em maio.

Saiba mais: Desemprego cai para 11,8% com informalidade atingindo maior nível desde 2016

De acordo com informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a queda no desemprego foi devido a entrada de 684 mil trabalhadores no mercado, totalizando 93,6 milhões de ocupados.

Trata-se do maior número desde 2012. Entretanto, o aumento foi acompanhado por recordes no níveis de trabalhos informais.

Última cotação

Na última sessão, na quinta-feira (26), o dólar fechou em alta de 0,168% sendo negociado a R$ 4,1618.

Compartilhe a sua opinião

Giovanna Oliveira
Giovanna Oliveira escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, foi repórter do portal de jornalismo da ESPM-SP e produziu conteúdo para a Corinthians TV. É estudante da ESPM.