Dólar encerra em queda de 2,936%, cotado em R$ 5,3552

Dólar encerra em queda de 2,936%, cotado em R$ 5,3552
Dólar encerra em queda de 0,935%, cotado em R$ 5,1583

O dólar encerrou nesta quarta-feira (29) em queda de 2,936%, negociado a R$ 5,3552 na venda, enquanto o Fed manteve a taxa de juros próximo a 0%.

Nessa manhã o dólar também abriu em queda. Além disso, confira as notícias que movimentaram o mercado durante essa quarta-feira:

  • PIB dos EUA recua 4,8% no primeiro trimestre de 2020;
  • Fed mantém taxa de juros entre 0% e 0,25%;
  • Boeing registra prejuízo de US$ 641 milhões no 1T20;
  • Última cotação do dólar

PIB dos EUA recua 4,8% no primeiro trimestre de 2020

O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos caiu 4,8% no primeiro trimestre deste ano, em sua primeira leitura. A informação foi divulgada pelo Departamento de Comércio norte-americano nesta quarta-feira (29).

Suno One: O primeiro passo para alcançar a sua independência financeira

Esse é o pior resultado do PIB estadunidense desde a crise financeira mundial de 2008, em razão do forte impactos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) na maior economia do planeta.

As projeções do PIB divulgadas nesta quarta-feira, no entanto, são preliminares e com dados incompletos, sobretudo em relação à atividade econômica de março. Economistas esperam que a divulgação oficial, que ocorrerá em meados deste ano, mostrem uma queda ainda maior da atividade econômica nos EUA.

O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, afirmou, na última quarta-feira (22), que a economia do país deve “realmente se recuperar” a partir de agosto, ao passo que o impacto dos trilhões de dólares desempenhados aos estados e das políticas de distanciamento social sejam mitigados.

Fed mantém taxa de juros entre 0% e 0,25%

O Federal Reserve (Fed), banco central dos Estados Unidos, manteve a taxa de juros entre 0% e 0,25%. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (29) após a reunião do Comitê federal de mercado aberto (FOMC, na sigla em inglês).

A autoridade monetária central norte-americana tinha reduzido a taxa de juros para esse patamar no dia 15 de março, de forma emergencial. No mesmo dia o Fed tinha anunciado um pacote de estímulos (Quantitative Easing (QE)) à economia por conta do avanço do coronavírus (Covid-19) por um valor de US$ 700 bilhões (cerca de R$ 4 trilhões) para sustentar a atividade econômica dos EUA.

Leia mais: Fed mantém taxa de juros entre 0% e 0,25%

“O Federal Reserve está comprometido em usar sua gama total de ferramentas para sustentar a economia dos Estados Unidos neste momento desafiador, promovendo as metas de máximo emprego e estabilidade de emprego”, salientou o banco central norte-americano em comunicado divulgado após a reunião do FOMC.

Por causa dessa incerteza sobre a perspectiva de retomada econômica, o Fed salientou que espera manter os juros “até que esteja confiante de que a economia superou os eventos recentes e está a caminho de alcançar suas metas de emprego máximo e estabilidade de preços”.

Boeing registra prejuízo no 1T20

A Boeing registrou um prejuízo de US$ 641 milhões no primeiro trimestre de 2020. A empresa afirmou que queimou US$ 4,3 bilhões de caixa no primeiro trimestre e, assim como outras companhias do setor aéreo, está enfrentando uma dura crise por conta do coronavírus. O prejuízo por ação da Boeing foi de US$ 1,70. Especialistas esperavam um prejuízo de US$ 1,61 por ação. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira.

Leia mais: Boeing registra prejuízo de US$ 641 milhões no 1T20

A Boeing teve US$ 16,91 bilhões de receita no primeiro trimestre de 2020, uma queda de 26,2% em relação ao mesmo período do ano passado. A receita líquida de aviação comercial caiu 48% e ficou em US$ 6,21 bilhões.

A Boeing informou que irá reduzir a produção de alguns modelos de aeronaves, como: o 787 Dreamliner. Além disso, a empresa também comunicou que realizará a redução da sua folha de pagamento em aproximadamente 10% por meio de programas de demissões voluntárias e, também, “involuntárias conforme necessário”.

Última cotação do dólar

Na última sessão, terça-feira, o dólar encerrou em forte queda de 2,59%, cotado a R$ 5,5172.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião