Dólar encerra em queda de 0,44%, cotado em R$ 5,616

Dólar encerra em queda de 0,44%, cotado em R$ 5,616
Na última sessão, terça-feira (29), o dólar encerrou em alta de 0,14%, negociado a R$ 5,641.

O dólar encerrou nessa quarta-feira (30) em queda de 0,44%, negociado a R$ 5,616 na venda.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

O dólar hoje abriu em alta, apesar do turbulento debate para a Presidência dos Estados Unidos entre Donald Trump e Joe Biden.

Já no decorrer do dia, os investidores ficaram de olho na fala do secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, afirmando que a economia dos Estados Unidos em 2021 irá se recuperar “com força”.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Além disso, confira as principais notícias que movimentaram o mercado nessa quarta-feira:

  • EUA terá uma forte recuperação na economia em 2021, diz secretário do Tesouro
  • Brasil cria 249.388 vagas de trabalho em agosto, mostra Caged
  • Fluxo cambial fica negativo em US$ 19,693 bi no ano até 25 de setembro
  • Última cotação do dólar

EUA terá uma forte recuperação na economia em 2021

O secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, disse, durante um evento remoto promovido pela CNBC, nesta quarta-feira, que a economia dos Estados Unidos em 2021 irá se recuperar “com força”. Mnuchin afirmou que o mercado acionário tem mostrado força recentemente, e isso, segundo ele, é um sinal de confiança no programa econômico que se encontra em execução. Com otimismo, o secretário também citou a possibilidade de um acordo por um novo pacote fiscal de apoio à economia dos EUA.

Mnuchin também afirmou que o sistema tributário dos EUA deve continuar simplificado. Ademais, o secretário do Tesouro norte-americano assegurou que em algum momento será preciso tratar a questão do déficit, mesmo não sendo uma prioridade do momento.

De qualquer maneira, o secretário deixou claro que a economia americana está se saindo “muito melhor do que imaginávamos”. Além de citar que, no cenário atual, os modelos econômicos tradicionais não estão funcionando.

Caged

O Ministério da Economia divulgou essa nessa quarta-feira os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), mostrando que o Brasil criou 249.388 vagas de emprego com carteira assinada em agosto desse ano.

Nesse sentido, o mês passado foi o segundo mês seguido de saldo positivo, já que em julho foram criadas 131 mil vagas de trabalho formal, segundo o Caged. Além disso, o resultado para agosto foi o melhor para o oitavo mês do ano em 10 anos.

O número apresentado em agosto foi resultado de 1.239.478 contratações contra 990.090 demissões.

Fluxo cambial

O Banco Central (BC) informou nesta quarta-feira que o fluxo cambial do ano até o dia 25 de setembro ficou negativo em US$ 19,693 bilhões. No mesmo período do ano passado o resultado era negativo em US$ 10,237 bilhões.

Os dados anuais refletem, em grande parte, os efeitos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) sobre o fluxo cambial, em especial no mês de março, anunciou o BC.

A saída pelo canal financeiro neste ano até 24 de setembro foi de US$ 51,976 bilhões. O resultado é fruto de aportes no valor de US$ 349,625 bilhões e de envios no total de US$ 401,601 bilhões. O segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

Última cotação do dólar

Na última sessão, terça-feira (29), o dólar encerrou em alta de 0,14%, negociado a R$ 5,641.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião