Dólar encerra em queda de 0,36%, cotado em R$ 5,594

Dólar encerra em queda de 0,36%, cotado em R$ 5,594
Na última sessão, o dólar havia caído 1,06%

O dólar encerrou nessa quinta-feira (22) em queda de 0,36%, negociado a R$ 5,594 na venda.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

O dólar hoje abriu instável enquanto o mercado acompanhava o pacote de estímulos da principal economia do mundo.

Já no decorrer do dia ficou no radar dos investidores a notícia de que a subsidiária do grupo financeiro Goldman Sachs na Malásia se declarou culpada de conspirar para violar leis norte-americanas antissuborno.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Além disso, confira as principais notícias que movimentaram o mercado nessa quinta-feira:

  • EUA: Casa Branca ainda vê “divergências significativas” sobre estímulos
  • Coronavírus: UE anuncia suporte de 100 bi de euros a empregos de curto período
  • Goldman Sachs se declara culpado em esquema de suborno na Malásia
  • Última cotação do dólar 

Casa Branca vê “divergências significativas” sobre estímulos e puxa dólar

Diretor do Conselho Econômico da Casa Branca, Larry Kudlow informou nesta quinta-feira que as conversas sobre o pacote de estímulos fiscais à economia dos EUA continuam. “Tendo dito isso, ainda há diferenças significativas de política entre os dois lados”, declarou durante entrevista à Fox News.

De acordo com Kudlow, os republicanos e democratas ainda discordam em relação à verba para estados e garantias contra processos para empresas na reabertura econômica dos EUA.

O diretor pontuou que a pauta de ajuda aos estados, poderia ser postergada em função das divergências e, ressaltou ainda que o tema de “seguro-saúde e dinheiro para imigrantes ilegais” também ainda não atingiu um consenso.

UE anuncia suporte a empregos de curto período

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou nesta quinta-feira o suporte de 100 bilhões de euros para empregos de curto período, com os primeiros Estados membros a receberem o apoio sendo Itália, Espanha e Polônia, os considerados mais atingidos pela crise gerada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Em pronunciamento, as três nações foram descritas como “duramente atingidas pela crise” do coronavírus. Desta forma, a presidente da Comissão afirmou que o órgão da União Europeia (UE) fará todo o possível para manter os europeus em seus empregos e mitigar os efeitos gerados pela pandemia.

Além disso, Ursula declarou que “O dinheiro irá para eles muito rápido”, e “isso é só o começo”, concluiu, indicando que 14 outros países europeus também receberão verbas.

Goldman Sachs

A subsidiária do grupo financeiro Goldman Sachs na Malásia se declarou culpada nesta quinta-feira de conspirar para violar leis norte-americanas antissuborno.

O movimento representa o primeiro passo no sentido de uma resolução na longa investigação sobre o papel do banco estadunidense no escândalo de corrupção na Malásia. Os advogados do Goldman Sachs, que atenderam a sessão do tribunal federal do Brooklyn, afirmaram que a unidade da instituição financeira no país se declararia culpada de violar a Foreign Corrupt Practices Act, que veta empresas dos Estados Unidos de pagar subornos a funcionários do governo no exterior.

A empresa confessou sua participação no esquema de corrupção ocorrido entre os anos de 2009 e 2014, quando executivos do banco prometerem um pagamento de mais de US$ 1,6 bilhão em propina para obter preferência investimento lucrativos na 1Malaysia Development Bhd (1MDB), empresa de desenvolvimento estratégico da Malásia voltada para fomentar negócios no país.

Última cotação do dólar

Na última sessão, quarta-feira (21), o dólar encerrou estável com leve alta de 0,05%, a R$ 5,614.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião