Mercado

Dólar encerra em queda de 0,326 % com guerra comercial e de olho em Previdência

0

O dólar encerrou esta quinta-feira (06) em queda de 0,326 %, negociado a R$ 3,8826. O mercado continua monitorando as negociações para a tramitação da reforma da Previdência. Além disso, no cenário externo, os investidores observam com preocupação o desenrolar da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China.

Nesta sessão, o dólar iniciou o dia em baixa. A mínima foi registrada às 10h, negociado a R$ 3,8603. Porém, logo em seguida, a moeda norte-americana voltou a se valorizar ante o real. Ao meio dia, atingiu o seu pico, vendido a R$ 3,8813.

Confira o fechamento das principais moedas:

  • Euro: alta de  0,574 %, negociado a R$ 4,3816.
  • Libra esterlina: alta de 0,136 %, negociada a R$ 4,9323

O Banco Central (BC) vendeu nesta quinta-feira todos os 5,050 mil swaps cambiais tradicionais, correspondentes à venda futura de dólares, de um total de US$ 10,089 bilhões que vencem em julho. Em 26 operações, o BC já rolou US$ 6,565 bulhões.

Guerra comercial

O presidente Donald Trump ameaçou nesta quinta-feira impor novas tarifas sobre os produtos chineses. De acordo com a declaração do presidente a imposição será de “ao menos” US$ 300 bilhões. Além disso, Trump acredita que a China e o México desejam fazer acordos com os Estados Unidos.

“Nossas conversas com a China, muitas coisas interessantes estão acontecendo. Veremos o que ocorre… eu poderia aumentar ao menos outros US$ 300 bilhões, e o farei na hora certa”, disse Donald Trump.

Saiba mais: Trump ameaça impor novas taxas; China responde

Em resposta, o Ministério do Comércio chinês se manifestou afirmando que as relações entre as duas maiores economias do mundo tem sido benéfica para os EUA. Além disso, acrescentou que as afirmações sobre a China se aproveitando da relação é infundada.

“Desde que o novo governo dos EUA tomou posse, vem desconsiderando a natureza mutuamente benéfica e vantajosa da cooperação econômica e comercial China-EUA e advogando a teoria de que os Estados Unidos foram ‘derrotados’ pela China no comércio”, disse o relatório do Ministério.

FMI aumenta previsão de crescimento dos EUA mas alerta para guerra comercial

O Fundo Monetário Internacional (FMI) elevou as previsões para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos em 2019 e 2020. Assim, as projeções foram atualizadas para uma alta de 2,6% neste ano e 2% no seguinte.

Saiba mais: Estados Unidos: FMI aumenta previsão de crescimento do PIB em 2019 e 2020

Apesar da melhora nas expectativas, o FMI alerta para as consequências da guerra comercial entre os EUA e a China. Isso porque o relatório produzido pelo órgão foi feito antes da aplicação de tarifas sobre produtos americanos pela China. O país asiático colocou uma taxa de importação sobre US$ 60 bilhões dos Estados Unidos.

Reforma da Previdência

Governadores divulgaram uma carta para manifestar o “veemente repúdio” à sugestão de retirar os estados e municípios da proposta da reforma da Previdência. Deputados pressionam para retirar os servidores estaduais e municipais das novas regras previdenciárias. A economia nos estados equivale a R$ 350 bilhões.

Última cotação

Na última sessão, que ocorreu na quarta-feira (5), o dólar teve alta de 1,001% sendo negociado a R$ 3,8953.

Compartilhe a sua opinião

Renan Dantas
Escreve sobre política e mercado financeiro para o portal Suno Notícias. Antes, atuou na assessoria de comunicação do Ministério Público do Trabalho e na Rádio Mackenzie, onde apresentava e produzia um programa sobre artistas da música brasileira. É estudante na Universidade Presbiteriana Mackenzie.