Mercado

Dólar encerra em alta de 0,23%, cotado em R$ 5,194

0

O dólar encerrou nesta terça-feira (31) em alta de 0,23%, negociado a R$ 5,194 na venda. O mercado estava atento aos dados que demonstram o retorno de crescimento econômico da China, país onde a pandemia do novo coronavírus se iniciou.

No acumulado desse mês, o dólar obteve uma alta de 15,9730%. Além disso confira as noticias que movimentaram o mercado nessa terça-feira

  • Presidente do Fed diz que Estados Unidos já está em recessão;
  • FMI diz que a recuperação econômica mundial dependerá da forma com que coronavírus será contido;
  • China apresenta resultados positivos de crescimento econômico.

Fed diz que EUA já está em recessão

Mary Daly, a presidente do Federal Reserve (Fed) de San Franciso, nos Estados Unidos, disse, nesta terça-feira, acreditar que o país já está em recessão. Segundo ela, isso ocorre pois milhões de pessoas perderam seus empregos e estão em casa devido à pandemia do novo coronavírus.

“O Federal Reserve está preparado para fazer o que for necessário para garantir que sejamos parte da solução de apoiar as pessoas contra o vírus, fortalecer a economia dos Estados Unidos e nos colocar na melhor posição para crescer novamente quando o vírus recuar”, afirmou Daly em entrevista ao site “Yahoo Finance”.

Daly diz que “se fizermos a coisa certa e nos protegermos e reduzirmos a disseminação do vírus, a economia estará na melhor posição para se recuperar”.

Entretanto, a fala da presidente da autoridade monetária estadunidense vai de encontro com o que Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu (BCE), disse em 2012. À época, a zona do euro estava em plena crise, com resgates de membros endividados sufocando a união monetária entre os países europeus.

FMI diz que recuperação depende da contenção do coronavírus

Segundo Kristalina Georgieva, diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), a recuperação econômica mundial dependerá da forma com que o novo coronavírus  será contido. A declaração foi realizada neste terça-feira em conferência com os presidentes dos bancos centrais dos países do G20.

“Nossa previsão de uma recuperação no próximo ano depende de como conseguiremos conter o coronavírus e reduzir o nível de incerteza”, afirmou a diretora. Segundo ela, a recuperação virá quando o nível de incerteza for menor.

Saiba mais: Recuperação depende da contenção do coronavírus, diz FMI

Na última semana, Georgieva afirmou que a pandemia do coronavírus pode trazer consequências iguais ou piores à crise financeira enfrentada em 2008. A recuperação desse tombo, no entanto, é esperada em 2021.

China apresenta resultados positivos

O país do qual originou a pandemia da covid-19 apresentou resultados positivos de crescimento econômico. O índice de atividade dos gerentes de compras industrial (PMI) do setor manufatureiro subiu para 52,0 no mês, ante uma baixa recorde de 35,7 em fevereiro.

Segundo Escritório Nacional de Estatística de Pequim, marcas acima de 50 indicam expansão, enquanto números abaixo de 50 indicam contração da atividade. O resultado deste mês é maior do que a previsão de 51,5 dos analistas.

Última cotação do dólar

Na última sessão, segunda-feira, o dólar encerrou em alta de 1,48%, cotado em R$ 5,18.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Laura Moutinho
Estagiaria na Suno Notícias, escreve notícias que afetam o mercado financeiro. Estuda administração na Universidade Presbiteriana Mackenzie.