Mercado

Dólar encerra em alta mesmo com cenário externo favorável

0

O dólar encerrou nesta segunda-feira (9) em alta de +0,463% sendo vendido a R$ 4,0993.

O dólar subiu devido a vários fatores. O principal deles, a divulgação do Boletim Focus que confirmou a previsão de crescimento do PIB em 2019.

Além disso, contribuíram para a alta: O anúncio de que o Brasil irá vender mais carnes para a China, com a habilitação de mais de 25 frigoríficos e o início das negociações de livre comércio do Brasil com o México.

Boletim Focus

Os economistas entrevistados pelo Banco Central (BC) no Boletim Focus mantiveram a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019. Segundo o Boletim divulgado nesta segunda-feira (9), a economia brasileira deverá crescer 0,87% esse ano.

A previsão do Boletim Focus da última segunda-feira (26) também indicava um crescimento do PIB de apenas 0,87% em 2019. No começo do ano, os analistas indicavam um crescimento de 2,6% da economia brasileira em 2019.

Saiba mais: Boletim Focus confirma previsão de crescimento do PIB em 2019

A previsão de crescimento da economia brasileira para 2020 passou de 2,10% para 2,07%. Uma estimativa próxima à projeção oficial do Banco Central e também do ministério da Economia.

Para 2021 e 2022 as previsões do Produto Interno Bruto foram mantidas em 2,50%.

Brasil irá vender mais carnes para a China

A China autorizou 25 frigoríficos brasileiros para exportar carnes. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (9) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Saiba mais: China autoriza a exportação de mais 25 frigoríficos

O governo brasileiro recebeu a informação pelo órgão de vigilância sanitária da China (GACC). O governo de Pequim indicou a habilitação das plantas para a exportação da carne.

Dos 25 frigoríficos habilitados, 17 produzem carne bovina, seis carne de frango, uma carne de porco e uma carne de asinino. As empresas donas dos frigoríficos estão autorizadas a exportar imediatamente. Graças a essa decisão chinesa, o número de plantas brasileiras habilitadas para exportar para o país asiático passou de 64 para 89.

Brasil negocia livre comércio com o México

Nesta segunda, o Secretário Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, Marcos Troyjo, declarou que o governo brasileiro começou as negociações para um tratado de livre comércio com o México. O objetivo é chegar a assinatura de um pacto comercial entre as duas maiores economias da América Latina.

A declaração chegou durante a tentativa do País de abrir de sua economia e manter as relações comerciais com outros países. Conversas para um possível acordo comercial com os Estados Unidos também já foram iniciadas.

Última cotação do dólar

Na última sessão, sexta-feira (6), o dólar encerrou com queda de -0,715% sendo negociado a R$ 4,0804 na venda.

Compartilhe a sua opinião

Rafael Lara
Rafael Lara cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Escreve sobre política, economia e negócios para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na TV Gazeta na produção do programa Edição Extra.