Internacional

Dólar cai 4% após medidas anunciadas pelo governo da Argentina

0

Após o presidente da Argentina, Mauricio Macri, anunciar no último domingo (01) suas medidas para restrição na compra do dólar, a moeda norte-americana é cotada a 58,26 pesos argentinos às 15h15 desta segunda-feira (02). O valor representa uma baixa de aproximadamente 4% no valor do dólar no país vizinho.

No “Banco Nación”, o dólar está a 53 pesos para compra e 57 pesos argentinos na venda até o fechamento desta matéria às 15:15. Na abertura, a moeda chegou a ser negociada a 63 pesos, a máxima registrada. Em outras casas, o dólar chegou ao valor de 68 pesos na negociação após o anúncio das medidas do governo da Argentina.

O dólar fechou nesta segunda na Argentina negociado a 58,25 pesos argentinos. O índice Merval fechou em alta de +6,45% a 26.195,41 pontos.

Medidas do Banco Central em relação ao dólar

O jornal argentin0 “La Nación” havia informado em sua edição do último domingo (01) que a partir desta segunda, o Banco Central da República Argentina (BCRA) interviria fortemente no mercado cambial. O objetivo, segundo o jornal, é conter a alta de dólar frente ao peso argentino visto nas últimas semanas.

Conforme o jornal argentino, o governo do presidente Mauricio Macri decidiu optar a uma receita já implementada na Argentina no passado.

Saiba mais: Banco Central da Argentina vai intervir agressivamente para controlar o dólar

A expectativa é de que Guido Sandleris, presidente do BC argentino, utilize um mecanismo similar ao adotado por Federico Sturzenegger há pouco mais de um ano, antes de firmar acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), em meio a uma forte depreciação do peso. A ação foi efetiva durante os 20 dias que perdurou.

Câmbio mais apaziguado já era esperado pelo governo da Argentina

Buscando um diálogo positivo com o partido opositor no Congresso, fontes haviam dito ao “La Nación” que o governo já esperava o mercado de câmbio mais apaziguado nesta segunda.

Na semana passada, a procura por dólares no país aumentou fortemente. Após o governo de Macri declarar que não pagará a maior parte de sua dívida de curto prazo na data do vencimento, postergando uma parcela para daqui seis meses, os investidores ficaram aflitos e procuram a moeda norte-americana para proteger seu capital.

Na última sexta-feira (30), tentando impedir uma desvalorização desenfreada do peso ante ao dólar, o Banco Central da Argentina leiloou mais de US$ 387 milhões de suas reservas internacionais.

Compartilhe a sua opinião

Rafael Lara
Rafael Lara cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Escreve sobre política, economia e negócios para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na TV Gazeta na produção do programa Edição Extra.