Mercado

Dólar fecha com alta; China e EUA retomam negociações comerciais

0

Dólar opera em alta nesta segunda-feira (11) e fecha pregão com crescimento de 0,774% sendo cotado a R$ 3,7629 na venda.

No entanto, durante o dia a moeda oscilou pouco marcando sua mínima de R$ 3,7293 próximo às 12h. Além disso, durante a tarde o dólar registrou alta, com pico R$ 3,7735 próximo às 14h.

Durante o dia os principais fatores que movimentaram a cotação da moeda foram:

  • Movimentação do Banco Central;
  • Negociações entre China e EUA e possível paralisação;
  • Saúde de Bolsonaro e Previdência.

Movimentação do Banco Central

Nesta segunda-feira (11), o Banco Central vendeu 10,33 mil swaps cambiais tradicionais, que equivalem à venda futura de dólares. Dessa forma, foram rolados US$ 3,615 bilhões do total de US$ 9,811 bilhões que irão vencer em março.

Negociações entre China e Estados Unidos e possível paralisação

No exterior, funcionários do governo de Donald Trump foram à Pequim para retomar as negociações comerciais.

As negociações serão realizadas com reuniões de grupos de trabalho entre segunda (11) e quarta-feira (13). Depois disso, no final de semana discussões de maiores níveis devem ser feitas.

Em janeiro, conversas entre os países foram encerradas em Washington com o principal negociador dos EUA dizendo que mais trabalho deve ser feito.

Saiba mais: China e Estados Unidos retomam negociações comerciais nesta segunda

De acordo com o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, não só a China mas todo esperam um bom resultado das negociações comerciais.

Ambos os lados buscam um acordo comercial antes de  de março, prazo em que as tarifas dos EUA sobre US$ 200 bilhões em importações chinesas subirão de 10% para 25%.

Além disso, os olhares do mercado também estão voltados a um possível paralisação do governo norte-americano. No entanto, para que não haja uma nova parada, o presidente Donald Trump e o Congresso tem de chegar a um acordo orçamentário até sexta-feira (15).

Saúde de Bolsonaro e Previdência

Os investidores continuam acompanhando de perto a situação de saúde do presidente Jair Bolsonaro que segue internado no Hospital Albert Einstein. De acordo com os médicos, após completar duas semanas de internação, o presidente apresentou “boa evolução”.

Em 28 de janeiro, Bolsonaro foi submetido a uma cirurgia para retirada da bolsa de colostomia. O procedimento terminou após sete horas de operação que teve êxito.

Saiba mais: Bolsonaro diz que pretende sair do hospital na terça-feira

Nesta segunda-feira (11), o presidente foi submetido a uma tomografia. Dessa forma, a previsão é que um novo boletim médico seja divulgado no fim desta tarde.

Além do quadro de saúde do presidente, o mercado fica com olhos atentos a qualquer movimentação referente a reforma da Previdência.

Última cotação

Na última sessão, sexta-feira (8), o dólar subiu 0,57% sendo cotada a R$ 3,7324. No entanto, durante a última semana, a moeda norte-americana acumulou uma alta de 1,95%. Mesmo com a alta no acumulado, a moeda registra queda de 3,66% no ano.

Compartilhe a sua opinião

Renan Bandeira
Renan Bandeira escreve sobre política e economia para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou em uma rede de televisão, onde fazia reportagens sobre os mesmos temas. Estuda na Universidade Metodista de São Paulo.