Dólar encerra em alta de 1,53%, cotado em R$ 4,65

Dólar encerra em alta de 1,53%, cotado em R$ 4,65
O dólar encerrou nesta segunda-feira (6) em queda de 0,64%, negociado a R$ 5,292 na venda. Clique aqui para saber mais

O dólar encerrou nesta quinta-feira (5) em alta de 1,537%, negociado a R$ 4,651 na venda. Este é o 12º recorde nominal consecutivo registrado pela moeda norte-americana.

A variação positiva ocorreu mesmo após uma tentativa do Banco Central (BC) de conter a alta do dólar por meio de um leilão de swap cambial.

O mercado continua reagindo ao leve avanço de 1,1% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2019. Além disso, nesta quinta, as seguintes notícias estiveram no radar dos investidores:

  • Coronavírus: oito casos da doença são confirmados no Brasil;
  • FMI libera US$ 50 bilhões para ajudar no combate ao coronavírus.

Leilão de swap cambial

Como forma de conter o avanço do dólar, o Banco Central (BC) ofertou 20 mil contratos de swap cambial, que juntos somam US$ 3 bilhões. As negociações foram divididas em três leilões, todos realizados durante a sessão desta quinta. Os contratos ofertados nesta tarde vencerão em agosto, outubro e dezembro de 2020.

Na última quarta-feira (4), a instituição já havia realizado uma intervenção na cotação da moeda norte-americana. Na ocasião, o BC vendeu 20 mil contratos com vencimentos semelhantes aos dos leilões de hoje.

Coronavírus

O Ministério da Saúde informou nesta tarde que o número de casos de coronavírus no Brasil subiu para oito. Além disso, o número de suspeitas passou de 531, na coletiva de ontem, para 636.

Saiba mais: Coronavírus: Amazon e Facebook pedem para funcionários ficarem em casa

Dentre os pacientes confirmados, dois deles residem em São Paulo, como nos casos anteriores, um no Rio de Janeiro e um no Espírito Santo. Os dois pacientes da capital paulista não viajaram para o exterior, mas entraram em contato com o primeiro caso confirmado no País, um homem de 61 anos que viajou à Itália.

Além disso, nesta quarta, o Fundo Monetário Internacional (FMI) liberou aproximadamente US$ 50 bilhões, por meio de linhas de financiamento de emergência de desembolso rápido, para países de baixa renda e mercados emergentes que estão passando por dificuldades em decorrência do surto global da doença.

Ao todo, 93.090 casos da doença já foram confirmados no mundo. O número de mortes pelo vírus já chega a 3.198.

PIB do Brasil

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil cresceu 1,1% em 2019. Esse foi o terceiro ano consecutivo de crescimento da economia, após a recessão de 2015 e 2016. No quarto trimestre, a economia avançou 0,5% em comparação com o terceiro trimestre.

Saiba mais: PIB do Brasil cresce 1,1% em 2019, segundo IBGE

No entanto, o crescimento do PIB de 2019 é o menor dos últimos três anos. Em 2017 e 2018, a expansão da economia foi de 1,3%. No início do ano, o mercado estimava um crescimento próximo de 2%.

“São três anos de resultados positivos, mas o PIB ainda não anulou a queda de 2015 e 2016 e está no mesmo patamar do terceiro trimestre de 2013”, afirmou Rebeca Palis, coordenadora das Contas Nacionais do IBGE.

Última cotação do dólar

Na última sessão, na quarta-feira, o dólar encerrou o pregão em alta de 1,545%, cotado a R$ 4,5793 na venda.

Giovanna Oliveira

Compartilhe sua opinião