Mercado

Dólar abre estável com Senado dos EUA e Boletim Focus no radar

0

O dólar inicia a semana estável com a recusa do Senado norte-americano sobre o pacote de medidas de combate ao coronavírus e a redução de expectativa de crescimento do Brasil.

Por voltas das 9h20, o dólar variava positivamente a 0,018%, sendo negociado a R$5,0266. O mercado internacional acompanha os efeitos da pandemia do novo coronavírus no radar.

Além disso, o investidor está atento a recusa do Senado dos EUA sobre proposta de combate a Covid-19, previsão para baixo do Produto Interno Bruto brasileiro, e a injeção de R$ 55 bilhões do BNDES.

Senado dos EUA recusa proposta de combate ao coronavírus

O pacote de estímulos à economia em combate aos efeitos do coronavírus (Covid-19), na ordem de US$ 1 trilhão (R$ 5,06 trilhões), foi recusado pelo Senado dos Estados Unidos no último domingo (22). Houve um empate em 47 a 47 votos, sendo que eram necessários 60 votos para o texto ser aprovado nesta primeira votação.

A proposta, redigida majoritariamente por republicanos, enviava cheques a todos os estadunidenses e aumentava o seguro-desemprego durante a crise causada pelo coronavírus. Segundo os senadores democratas, o texto estava focado em salvar as empresas e traria pouco para ajudar os trabalhadores.

Boletim Focus

Os especialistas do mercado financeiro, responsáveis pela elaboração do Boletim Focus, diminuíram a previsão do Produto Interno Bruto (PIB) de 2020 de 1,68% para 1,48%. Por sua vez, a taxa Selic se manteve em 3,75% ao ano.

Na primeira leitura do Boletim Focus deste ano, a economia do Brasil iria crescer 2,30%. Trata-se da 6ª semana consecutiva de redução do PIB brasileiro.

A previsão da taxa básica de juros (Selic) está em 3,75%. Há cerca de uma semana, o Comitê de Política Externa (Copom) decidiu por cortar a taxa de juros novamente, deixando-a em 3,75%, no menor patamar da Selic em sua série histórica.

BNDES injeta R$ 55 bilhões na economia

O Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) anunciou neste domingo (22) pacote de medidas para conter os efeitos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) na economia brasileira. O órgão anunciou a suspensão de cobrança de empréstimo por seis meses como uma das medidas para a injetar R$ 55 bilhões no sistema financeiro.

Saiba Mais: Coronavírus: BNDES suspende pagamento de empréstimos por 6 meses

O banco irá suspender o pagamento de juros por até seis meses para as empresas que tem financiamento direto, para esses, serão destinados R$ 19 bilhões. Segundo o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, essa medida “traz um alívio de caixa para empresas” que enfrentam a crise provocada pelo coronavírus.

Última cotação do dólar

Na última sessão, sexta-feira (20) o dólar encerrou em queda de 1,5%, cotado a R$ 5,027.

Compartilhe a sua opinião

Poliana Santos
Poliana Santos escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na Rádio Gazeta AM, onde era responsável pela produção do programa Bom Dia Gazeta. É estudante da Faculdade Cásper Líbero.