Dólar abre em queda de 1% com acordo da UE no radar

Dólar abre em queda de 1% com acordo da UE no radar
Por volta das 10h25, o dólar hoje operava em alta de 0,70%, negociado a R$ 5,5641.

O dólar inicia esta terça-feira (21) em queda com o pacote de estímulos da União Europeia no radar.

Por volta das 9h20, o dólar operava em baixa de 1,14%, sendo negociado a R$ 5,279. O mercado internacional está monitorando o acordo bilionário de estímulos econômicos do bloco europeu.

Além disso, segue no radar dos investidores a entrega da proposta da reforma tributária pelo governo federal ao Congresso e vacina de Oxford contra o coronavírus que é “eficaz e segura”.

Saiba mais: No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

Acordo bilionário da UE

Os líderes da União Europeia (UE) anunciaram, na manhã desta terça-feira, um novo pacote de estímulos econômicos ao bloco europeu no combate à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Após dias de negociações, foi decidida a utilização de 750 bilhões de euros (cerca de R$ 4,57 trilhões) com o objetivo de mitigar a recessão econômica da região.

O acordo, fechado pela UE em Bruxelas, exigiu a aprovação unânime dos Estados membros. A decisão representa uma vitória para Angela Merkel, premiê da Alemanha, que lidera o bloco neste semestre, e do presidente da França, Emmanuel Macron, que havia apresentado um esboço desse pacote em maio.

O entendimento entre os líderes estabelece que serão destinados 390 bilhões de euros em doações para os países do bloco que estão mais fragilizados economicamente, além de 360 bilhões de euros em empréstimos a juros baixos. Essa será a primeira vez que a UE colaborará de forma massiva com o mercado de capitais.

Reforma tributária

No Brasil, os investidores estão atentos as declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre a reforma tributária.

Na última quinta-feira (16), o ministro afirmou que a proposta da reforma tributária do governo já está pronta na Casa Civil e deve ser levada para a casa do presidente do Senado Davi Alcolumbre, nesta terça.

Guedes ainda salientou que não é possível afirmar se haverá um imposto cobrado sobre transações na reforma , e destacou que “se eu for começar sobre o que nos desune, vai acabar a reforma tributária antes de a gente começar”.

Veja Também: Guedes não quer CPMF, mas uma tributação digital, afirma Bolsonaro

Além disso, o economista afirmou que já enviou as propostas do executivo para a Casa Civil, que depois devem passar para o Congresso. “Vamos levar para o presidente do Senado para encaminhar à comissão mista”, apontou o ministro.

Segundo Guedes, o governo usa como tática o envio de propostas que possam ser utilizadas em textos que já estão sendo discutidos no Congresso.

Vacina de Oxford

A vacina contra o coronavírus desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca e a Universidade de Oxford (Reino Unido) se mostrou segura e eficaz contra a doença. Aproximadamente 1077 pessoas foram testadas para obter os primeiros resultados do ensaio da vacina. Os resultados foram publicados pela revista científica Lancet na última segunda-feira (20).

Saiba Mais: Coronavírus: vacina de Oxford é segura e funciona, indica estudo

De acordo com os pesquisadores, a vacina AZD1222 aumentou os níveis de anticorpos neutralizantes protetores e células que atacam o vírus. O estímulo à produção de anticorpos neutralizantes, na criação de um antídoto, é considerado um passo importante para os testes.”Estamos vendo respostas imunes muito boas, não apenas em anticorpos neutralizantes, mas também em células T”, afirmou o chefe do Jenner Institute de Oxford, Adrian Hill.

Os pesquisadores da Universidade de Oxford desenvolveram uma tecnologia que pode trazer resultados mais pontuais em relação ao combate ao coronavírus. A equipe está utilizando um vírus inofensivo para transportar parte do material genético do patógeno para as células e fazer com que uma resposta imune seja criada. Esta vacina não provocou efeitos colaterais graves nos voluntários testados, segundo os pesquisadores.

Última cotação do dólar

Na última sessão, segunda-feira, o dólar encerrou o pregão em queda de 0,752%, a R$ 5,34.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião