Dólar abre em queda de 0,3% com cenário externo no radar

Dólar abre em queda de 0,3% com cenário externo no radar
A cotação do dólar hoje emendou a terceira alta consecutiva com cautela no exterior

O dólar inicia esta terça-feira (11) em queda com a declaração de Trump sobre a possibilidade de corte de impostos sobre ganhos de capital nos EUA.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

Por volta das 9h40, o dólar operava em queda de 0,37%, sendo negociado a R$ 5,44. O mercado acionário está atento à sugestão de Trump e o seu impacto na geração de empregos norte-americanos.

Além disso, segue no radar a expectativa sobre o pacote de estímulos dos EUA e tensão entre Trump e o Brasil.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Corte de impostos sobre ganhos de capital nos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou na última segunda-feira (10) que está considerando cortar imposto sobre ganhos de capital e reduzir os impostos de renda para famílias de renda média para ajudar na recuperação da economia dos EUA.

“Estamos considerando um corte de impostos sobre ganhos de capital, o que criaria muito mais empregos. E também [estamos pensando] em um corte no imposto de renda para famílias de renda média”, disse Trump.

O presidente disse ainda que cogita suspender o pagamento de financiamentos estudantis até o fim do ano.

Estímulos econômicos dos EUA

Os investidores permanecem de olho aos estímulos econômicos da principal economia do mundo. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou no último sábado (8) um decreto executivo para implementar um plano de ajuda para os estadunidenses, após os partidos Republicano e Democrata não entrarem em acordo sobre o novo pacote de estímulos econômicos.

“Estamos fartos e vamos salvar os empregos americanos e proporcionar ajuda aos trabalhadores”, disse o mandatário em coletiva de imprensa em Nova Jersey.

Trump ameaça impor tarifas sobre produtos brasileiros

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou na última segunda-feira (10), que pode impor tarifas a produtos brasileiros, se o Brasil não reduzir as taxas impostas ao etanol importados dos EUA.

De acordo com Trump, o governo norte-americano se baseia na política da reciprocidade. “No que diz respeito ao Brasil, se eles impõem tarifas, nós temos de ter uma equalização de tarifas. Vamos apresentar algo sobre tarifas e justiça, porque muitos países têm nos cobrado tarifas e nós não cobramos deles. É chamado reciprocidade. Você pode esperar algo sobre isso muito em breve”, disse o mandatário.

A fala de Trump foi uma resposta ao reporter da “GloboNews” que havia questionado se o presidente pediu ao embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman, para articular com o governo brasileiro para reduzir as tarifas impostas ao etanol.

Ata do Copom

Segundo o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), “a conjuntura econômica continua a prescrever estímulo monetário extraordinariamente elevado”, mas o espaço para a política monetária, “se houver, deve ser pequeno”. As informações foram divulgadas nesta terça por meio da Ata da 232ª reunião do comitê, realizada na última semana.

“Consequentemente, eventuais ajustes futuros no atual grau de estímulo ocorreriam com gradualismo adicional e dependerão da percepção sobre a trajetória fiscal, assim como de novas informações que alterem a atual avaliação do Copom sobre a inflação prospectiva”, diz o documento.

Na última quarta-feira (5), o comitê composto pelo presidente do BC, Roberto Campos Neto, e diretores colegiados da autoridade monetária central do País decidiu cortar taxa básica de juros da economia (Selic) em 0,25 ponto percentual, trazendo-a para 2%.

Tensões sino-americanas

Os EUA impuseram sanções a alguns dos principais funcionários de Hong Kong e às principais autoridades da China para penalizar o país asiático por implementar um maior controle sob a província autônoma.

As medidas do Departamento do Tesouro dos EUA têm como alvo Carrie Lam, a presidente-executiva de Hong Kong, nomeada por Pequim, e diversos funcionários atuais e ex-funcionários responsáveis ​​por implementar a decisão do governo chinês de exercer maior controle sobre a ex-colônia britânica.

A China, por sua vez, partiu em retaliação e informou que irá sancionar 11 cidadãos norte-americanos. Entre eles estão os senadores do Partido Republicano, Marco Rubio, Ted Cruz, Tom Cotton, Pat Toomey e Josh Hawley, além do deputado Chris Smith e integrantes de organizações não governamentais.

Última cotação do dólar

Na última sessão, segunda-feira, o dólar encerrou em alta de 0,966%, sendo negociado a R$ 5,4649.

Tags
Poliana Santos

Compartilhe sua opinião