Mercado

Dólar abre em queda atento a escalada de tensão entre EUA e China

0

O dólar abre em queda nesta quinta-feira (21) com a escalada de tensão entre as duas maiores economias do mundo no radar.

Por volta das 9h30, o dólar operava em baixa de 0,647%, sendo negociado a R$ 5,6522. O mercado está atento ao aumento de tensão entre os Estados Unidos e a China, após o presidente norte-americano afirmar que a pandemia é culpa da “incompetência” do país asiático.

Garanta acesso gratuito à eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas com um único cadastro. Clique para saber mais!

Além disso, segue no radar do investidor a desaceleração da inflação da zona do euro em abril, e o número de pedidos de seguro-desemprego nos EUA.

EUA e China

Na última quarta-feira (20), o presidente Donald Trump usou sua conta no Twitter para acusar, mais uma vez, a China pela pandemia, em mais uma escalada nas tensões entre as duas maiores potências do planeta.

Segundo Trump, “o massacre em todo o mundo” foi culpa da “incompetência” chinesa. O mandatário salientou em sua publicação que “alguns malucos na China acabaram de divulgar uma declaração culpando todo mundo, exceto a China, pelo vírus, que já matou centenas de milhares de pessoas”.

Além disso, os EUA anunciaram que realizaram um exercício militar de 32 horas com quatro bombardeios supersônico sobre o mar do Sul da China.

Inflação da zona do euro

A inflação anual da zona do euro subiu 0,3% em abril, trata-se do nível mais baixo em quatro anos. Esse valor representa uma desaceleração quando comparado com o aumento de 0,7%, em março.

A agência estimava uma alta de 0,4% dos preços do consumidor da zona do euro, assim como os analistas ouvidos pelo “The Wall Street Journal”. A inflação demonstrou a tendência de desaceleração desde o início do ano em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

A inflação de abril foi provocada por uma queda nos preços de energia, que caíram 9,7% no mês em comparação com o mesmo período no ano anterior.  Além disso, a guerra de preços do petróleo entre a Rússia e Arábia Saudita também influenciaram.

Seguro-desemprego nos EUA

O número de pedidos de seguro-desempregos dos Estados Unidos será divulgado nesta quinta-feira.

Saiba Mais: EUA registram 2,9 milhões de pedidos de seguro-desemprego

Na semana encerrada em 8 de maio, o número de solicitações do seguro-desemprego nos EUA foi de 2,98 milhões. Em oito semanas, o total de pedidos de auxílio-desemprego foi de 35,98 milhões. O recorde foi atingindo na primeira semana de abril, com 6,6 milhões de requisições.

Última cotação do dólar

Na última sessão, quarta-feira (20), o dólar encerrou em queda de 1,227%, cotado em R$ 5,6902.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Poliana Santos
Poliana Santos escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na Rádio Gazeta AM, onde era responsável pela produção do programa Bom Dia Gazeta. É estudante da Faculdade Cásper Líbero.