Dólar abre em alta com estímulos do BCE no radar

Dólar abre em alta com estímulos do BCE no radar
Dólar

O dólar abre em alta nesta quinta-feira (4) com estímulos da Europa no radar.

Por volta das 9h40, o dólar operava em alta de 0,574%, sendo negociado a R$ 5,1137. O mercado está atento ao anúncio do Banco Central Europeu (BCE) sobre a expansão de seu programa de estímulos à economia para 1,35 trilhão de euros.

Além disso, segue no radar dos investidores os dados de pedidos de seguro-desemprego dos Estados Unidos e as vendas no varejo na zona do euro.

Suno One: O primeiro passo para alcançar a sua independência financeira

Estímulos da Europa

O Banco Central Europeu (BCE) informou, na manhã desta quinta, que irá expandir seu programa de estímulos à economia para 1,35 trilhão de euros (cerca de R$ 7,68 trilhões) no combate à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

A decisão do BCE vai de encontro com os esforços do Federal Reserve (Fed), Banco Central dos Estados Unidos, em sustentar a economia no momento de crise. A expansão do programa, segundo analistas, foi mais agressiva do que o esperado, o que deve absorver grande parte das dívidas que estão sendo levantadas por governos da zona do euro em meio à pandemia.

Em comunicado, o BCE informou que compraria 1,35 trilhão de euros em dívidas governamentais e corporativas até junho do ano que vem. Os pagamentos dos títulos vencidos serão reinvestidos até o final de 2022. Além disso, a principal taxa de juros da zona do euro foi inalterada, permanecendo em 0,5%.

Dados desemprego dos EUA

O mercado está atento a divulgação dos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos que acontece nesta quinta. Na semana passada, o número de solicitações foi de 2,12 milhões.

Os pedidos feitos durante a crise do novo coronavírus (covid-19) já superaram todos os ganho de emprego desde a crise financeira de 2008.

Vendas no varejo zona do euro

As vendas no varejo na zona do euro sofreram uma queda histórica em abril de 11,7% ante março. De acordo com a agência oficial de estatísticas da União Europeia, Eurostat, essa queda é reflexo da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Os analistas consultados pelo veículo jornalístico norte-americano “The Wall Street Journal” previam retração de 19% nas vendas. Na comparação de base anual, as vendas no varejo na zona do euro despencaram 19,6% em abril.

A agência revisou os números de vendas de março, para recuo mensal de 11,1% e declínio anual de 8,8%.

Última cotação do dólar

Na última sessão, quarta-feira, o dólar encerrou em queda de 2,384% cotado em R$ 5,0862.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião