Mercado

Dólar inicia em alta; Movimentação do Centrão ajuda moeda

0

O dólar inicia a manhã desta sexta-feira (12) em alta. A moeda aguarda a divulgação de dados referentes ao preço das importações e do sentimento do consumidor norte-americano.

Por volta das 9h20, o dólar operava com uma alta de 0,52% sendo cotado em R$ 3,877 na venda. A moeda norte-americana segue sofrendo alterações com base nas novidades da reforma da Previdência.

[optin-monster-shortcode id=”npkxlwaleraa8psvnego”]

Além disso, os dados da balança comercial chinesa no mês de março apontaram um cenário misto na economia. Investidores aguardam sinais de recuperação econômica na China para aliviar os temores sobre uma possível desaceleração no crescimento global.

Reforma da Previdência

A reforma da Previdência segue sendo a menina dos olhos do mercado. No entanto, sem que haja novidades sobre a tramitação da proposta, o mercado segue cauteloso em relação a possível aprovação.

Tal cautela deve ficar ainda mais aflorada, devido a prorrogação de 60 dias das investigações que envolvem o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, na Procuradoria Geral da República e também por conta da inversão de prioridades na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde o Orçamento impositivo deve ser votado antes da reforma.

No entanto, a expectativa é de que o deputado e presidente da CCJ, Felipe Francischini, anuncie hoje a ordem de votação na reunião da comissão, marcada para a próxima semana.

Saiba mais: Guedes diz ao comitê do FMI que governo faz “choque liberalizante”

Aprovação da reforma

De acordo com o “Valor”, a Câmara dos Deputados conta com 201 parlamentares direcionados a votar a favor da proposta. Dessa forma, comparando a última estimativa feita em 13 de março, houve uma alta de 52 votos.

Balança comercial China

As exportações da China se recuperaram em março subindo 14,2% em relação ao ano anterior, segundo dados da alfândega nesta sexta-feira (12). Além disso, as exportações subiram cerca de 3% na comparação mensal.

Em contrapartida, as importações da China recuaram 7,6% em relação ao ano anterior, indicando que a demanda doméstica segue baixa. No entanto, no comparativo mensal o recuo foi de 5,2%.

Última cotação

Na última sessão, na quinta-feira (11), o dólar registrou uma alta de 0,863% sendo negociado a R$ 3,857.

Compartilhe a sua opinião

Renan Bandeira
Renan Bandeira escreve sobre política e economia para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou em uma rede de televisão, onde fazia reportagens sobre os mesmos temas. Estuda na Universidade Metodista de São Paulo.