Mercado

Dólar cai em dia que acordo comercial EUA-China pode ser fechado

0

Na contramão da última sessão, o dólar inicia a quinta-feira (4) em queda. A moeda norte-americana ainda opera com os resultados do último pregão e o mercado aguarda as movimentações sobre a reforma e também o resultado do encontro entre Trump e Liu He.

Por volta das 9h20, o dólar registrava um queda de -0,25% sendo avaliada em R$3,8683. Operando sobre o bate-boca na Câmara durante sessão da CCJ e conversas avançadas entre China e Estados Unidos que fará o presidente norte-americano receber o vice-primeiro-ministro chinês.

Nesta quinta, o secretário especial adjunto de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, deve comparecer à comissão.

[optin-monster-shortcode id=”npkxlwaleraa8psvnego”]

Entre os assuntos que movimentam o mercado, os que seguem como principais influenciadores são:

  • Negociações comerciais;
  • Reforma da Previdência.

Na última sessão, o dólar começou em alta e foi assim até o final da sessão. O otimismo no cenário externo sobre um possível acordo entre China e Estados Unidos, acabou elevando a moeda, claro, com a ajuda do bate-boca na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde o ministro da Economia, Paulo Guedes, apresentava aos deputados a reforma da Previdência.

Negociações comerciais

Será que dessa vez tem acordo? Um novo capítulo nas negociações comerciais será iniciado nesta quinta-feira (4). No entanto, a novela parece próxima do fim. Ainda hoje, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se reunirá com o vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, e existe a possibilidade de um acordo ser fechado, para por fim na guerra comercial.

De acordo com o programa oficial, o encontro entre a autoridade chinesa, que também é o principal negociador chinês, e o presidente norte-americano deve acontecer hoje a tarde, na Casa Branca.

Reforma da Previdência

O progresso das negociações já estimulava a alta da moeda, mas a confusão na CCJ foi mais um reforço para o crescimento do dólar ante o real.

Isso, porque a insegurança em relação a aprovação da reforma da Previdência voltou ao mercado, colocando mais cautela sobre investimentos do exterior no Brasil.

Saiba mais: Onyx planeja que a Câmara vote a Nova Previdência em junho

Embate na CCJ

Guedes participou de uma sessão na CCJ, onde respondia perguntas da comissão que analisa a reforma no Congresso. Após horas respondendo perguntas, a reunião foi interrompida com bate-boca entre o ministro e os deputados da oposição.

De acordo como presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o episódio foi muito ruim. Ele ainda afirmou que o ministro sempre vai bem, mas teve um problema que não desnecessário na reta final.

No entanto, o que chamou a atenção do mercado e aumentou a cautela sobre a aprovação, foi a falta de apoio dos deputados aliados ao governo em defesa de Guedes.

Maior apoio

Buscando mais apoiadores para a Previdência, o presidente Jair Bolsonaro deve se encontrar com líderes do Congresso e presidentes de partidos políticos, como:

  • Geraldo Alckmin (PSDB);
  • Gilberto Kassab (PSD);
  • ACM Neto (DEM);
  • Romero Jucá (MDB);
  • Ciro Nogueira (PP).

Última cotação

O otimismo externo e a cautela interna fez o dólar operar em alta durante toda a sessão. Na quarta-feira (3), a moeda norte-americana registrou uma alta de 0,565% sendo negociada a R$ 3,8787  na venda.

Compartilhe a sua opinião

Renan Bandeira
Renan Bandeira escreve sobre política e economia para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou em uma rede de televisão, onde fazia reportagens sobre os mesmos temas. Estuda na Universidade Metodista de São Paulo.