Disney apresenta lucro de US$ 2,11 bilhões; queda de 24,4% na comparação anual

Disney apresenta lucro de US$ 2,11 bilhões; queda de 24,4% na comparação anual
Disney

A Walt Disney Company divulgou seu lucro líquido referente ao primeiro trimestre fiscal, que terminou no dia 28 de dezembro de 2019. A empresa teve lucro de US$ 2,11 bilhões, uma queda de 24,4% na comparação anual.

A receita da Disney registrou um avanço de 36,3% em relação a mesma época do ano anterior, a US$ 20,86 bilhões. Apesar da baixa, a gigante teve uma performance positiva em todos os setores de atuação, registrando alta de 24% em mídia, para US$ 7,36 bilhões e avanço de 8% em parques e resorts, para US$ 7,4 bilhões.

O cinema foi o segmento que mais teve destaque, com aumento de 106% na receita, para US$ 3,76 bilhões. A empresa afirmou que o crescimento de receita de cinema foram puxados por lançamentos como: “Frozen 2” e “Star Wars: A Ascensão Skywalker”.

A divisão internacional e de vendas diretas ao consumidor apresentou alta de 334%, a US$ 3,9 bilhões. Esse braço da empresa inclui o serviço de streaming lançado no ano passado, Disney+, e o Hulu.

De acordo com o relatório do balanço da gigante do entretenimento, a Disney+ já possui aproximadamente 26,5 milhões de assinantes. O Hulu, outro serviço de streaming da Disney, conta com 30,4 milhões de clientes.

Veja também: Ford reporta prejuízo de US$ 1,7 bilhões no quarto trimestre de 2019

“Tivemos um primeiro trimestre forte, destacado pelo lançamento do Disney +, que superou até nossas maiores expectativas”, disse Robert A. Iger, presidente da gigante de entretenimento.

De acordo com a companhia norte-americana, a queda no lucro, em relação ao mesmo período do ano passado, foi influenciada pelo aumento dos custos relativos aos lançamentos de Disney+ e ao crescimento do Hulu.

Disney+

Lançado em meados de novembro do ano passado, o Disney+ começou vigorando em somente três países, sendo eles: Estados Unidos, Canadá e Holanda. Entretanto, o serviço de streaming, conseguiu, em um dia de atuação, a assinatura de 10 milhões de pessoas, superando a expectativa de especialistas e da própria empresa.

Tags
Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião