CVM apura movimentação atípica de papéis da controladora do Banco Alfa

CVM apura movimentação atípica de papéis da controladora do Banco Alfa

A Comissão de Valores Imobiliários (CVM) está apurando as movimentações ‘atípicas’ nos papéis da Consórcio Alfa de Administração, empresa gestora do Banco Alfa. De acordo com o órgão fiscalizador, a valorização nos papéis da empresa e o volume negociado, nos últimos dias, são atípicos e por isso cabe o questionamento à companhia.

Na última segunda-feira (2), a BRGE5, ação preferencial do Consórcio Alfa de Administração, chegou a ter uma variação positiva de 97,83% durante o pregão, sendo cotada a R$ 7,32. Um dia após a forte alta, a empresa registrou uma alta de 70% nos papéis, negociados a R$ 12,45. Nesta quarta feira (4), por volta das 15h, as ações variavam positivamente 77,43%, a R$ 25.

Desta forma, a empresa chegava a acumular mais de 500% na semana. Em sintonia, as ações ordinárias do Consórcio Alfa (BRGE3) também registraram alta durante a semana. Na segunda-feira, os papéis chegaram a alcançar uma variação positiva de 51,72%. Até o início da tarde desta quarta-feira, a empresa acumulava 149% no ativo.

Veja também: Ações da Sinqia disparam: é uma bolha? 

Resposta à CVM

A empresa assegurou que não sabe o que o causou a forte valorização desta semana no Ibovespa. “Informamos que não temos conhecimento de nenhum fato que possa justificar de forma importante as oscilações no número de negócios e quantidade conforme quadros acima”.

A valorização de três dígitos em 72 horas na bolsa é algo que a CVM considera atípico. O Consórcio Alfa está registrado na bolsa de valores desde 1977. A empresa foi fundada depois que o Conglomerado Financeiro Real se desfez.

Além do Banco Alfa, a companhia detém:

  • Financeira Alfa;
  • Alfa Corretora;
  • Alfa Arrendamento Mercantil S.A.

Ademais, a gestora do Banco Alfa também tem partes registradas na Corumbal Participações e Administração, empresa do ramo de seguros, e na Metro Tecnologia, companhia de tecnologia e serviços.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião