CVC (CVCB3): Morgan Stanley atinge 5,2% de posição acionária na companhia

CVC (CVCB3): Morgan Stanley atinge 5,2% de posição acionária na companhia
A CVC (CVCB3) anunciou, na noite da última terça-feira (15), a destituição do diretor Ricardo Pinheiro Paixão.

A CVC (CVCB3) informou aos seus acionistas e ao mercado em geral, na última terça-feira (4), que recebeu um comunicado do Morgan Stanley sobre nível de posição acionária. A instituição financeira atingiu uma exposição equivale a 5,2% do total das ações ordinária emitidas pela maior operadora e agência de viagens do Brasil.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

O aumento da posição do Morgan Stanley foi feito de forma agregada, através de suas subsidiárias: Morgan Stanley Capital Services LLC, Morgan Stanley & Co. International plc, Morgan Stanley Uruguay Ltda., Morgan Stanley & Co. LLC, Morgan Stanley Smith Barney LLC, Caieiras Fundo de Investimento Multimercado e Formula XVI Fundo de Investimento Multimercado Crédito Privado – Investimento no exterior.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

“Ainda de acordo com a comunicação recebida, o Morgan Stanley declarou que a participação acionária não objetiva alterar a composição do controle ou a estrutura administrativa da Companhia”, informou a CVC em comunicado ao mercado.


Revisão de erros contábeis da CVC

A CVC comunicou, na última segunda-feira (3), que concluiu o processo de revisão e reconciliação das demonstrações financeiras do ano de 2019, realizado em decorrência da identificação de distorções em determinadas contas contábeis. De acordo com a companhia, o rombo contável identificado totalizou R$ 362,3 milhões. Um valor superior ao estimado de R$ 350 milhões.

De acordo com o fato relevante da CVC, os erros contábeis não terão impacto sobre a geração e os saldos de caixa reportados nas demonstrações financeiras, “uma vez que o capital de giro reportado no período seria diminuído no mesmo montante; e o s valores foram devidamente transferidos aos fornecedores”.

A CVC informou que o valor total de R$ 362,3 milhões foi dividido da seguinte forma:

  • R$ 93,8 milhões são referentes ao exercício de 2019, causando uma redução na receita líquida consolidada e R$ 88,5 milhões e aumento da despesa consolidada de variação cambial de R$ 5,3 milhões
  • R$ 135,1 milhões são referentes ao exercício de 2018, causando redução na receita líquida consolidada de R$ 127,2 milhões e aumento da despesa consolidada de variação cambial de R$ 7,8 milhões
  • R$ 133,4 milhões são referentes a exercícios anteriores a 2018, causando redução do patrimônio líquido em 1º de janeiro de 2018 neste montante.

Na última terça-feira (4), a CVC destacou que os dados referentes a 2019 ainda não são os auditados. “Conforme informado em tal fato relevante, a companhia espera divulgar as suas demonstrações financeiras auditadas referentes ao exercício de 2019 até 31.08.2020”, informou a empresa.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião