Economia

Custo de vida na cidade de São Paulo sobe 3,89% em 2018

0

O custo de vida na cidade de São Paulo fechou 2018 com uma alta de 3,89%, 1,45 pontos maior que a inflação registrada em 2017, de 2,44%.

Os dados do Índice do Custo de Vida (ICV) são medidos pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Saiba mais: IBGE: inflação de 2018 fecha em 3,75%

Entre os dez grupos analisados, cinco tiveram alta maior que a inflação anual. São elas:

  • Transporte, com 6,05%;
  • Despesas diversas, com 5,21%
  • Educação e leitura, com 5,03%
  • Habitação, com 4,10%
  • Alimentação, com 3,95%

Já os grupo que aparecem com taxas menores ou negativas são:

  • Despesas pessoais, com 3,64%
  • Saúde com 1,98%
  • Equipamento doméstico com 0,74%
  • Recreação com (-0,39%)
  • Vestuário com (-1,59%) 

Segundo o Dieese, no grupo dos transportes os reajustes para os subgrupos transporte individual e transporte coletivo foram de 6,46% e 5,15%, respectivamente. Além disso, a gasolina também apresentou variação positiva, com 12,51% de alta.

Subgrupos

No subgrupo educação, as taxas acumulas foram de:

  • 5,39% para os cursos formais;
  • 4,03% para os diversos;
  • 1,60% para os artigos de papelaria;
  • -3,57% para os livros;

Já no subgrupo leitura, com alta de 12,99%, o reajuste foi de 7,80% para jornais e 14,61% para revistas.

Saiba mais: Poupança supera a inflação em 2018 e registra ganho real de 0,84%

Ainda segundo o levantamento, as variações no grupo de habitação ficou em 4,10%.

No grupo alimentação, a influência para a alta do custo de vida na cidade de São Paulo partiu das taxas acumuladas dos subgrupos alimentação fora do domicílio (4,80%); refeições principais (4,90%) e lanches matinais e vespertinos (4,67%) .

Compartilhe a sua opinião

Renan Dantas
Escreve sobre política e mercado financeiro para o portal Suno Notícias. Antes, atuou na assessoria de comunicação do Ministério Público do Trabalho e na Rádio Mackenzie, onde apresentava e produzia um programa sobre artistas da música brasileira. É estudante na Universidade Presbiteriana Mackenzie.