Coronavoucher: confira o calendário de saques do 3° lote da 1° parcela

Coronavoucher: confira o calendário de saques do 3° lote da 1° parcela
coronavoucher

A Caixa Econômica Federal divulgou nesse sábado (13) o calendário de saques e transferências do terceiro lote da primeira parcela do auxílio emergencial, apelidado de coronavoucher. A nova leva de cadastros aprovados, enviada ao banco na última sexta-feira (12), contempla 4,9 milhões de beneficiários, enquanto o valor a ser pago soma R$ 3,1 bilhões.

Esses brasileiros devem receber a primeira parcela do coronavoucher através da poupança social digital da seguinte maneira:

  • Nascidos entre janeiro e junho recebem dia 16/06;
  • Nascidos entre julho e dezembro recebem dia 17/6.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Já o calendário de saques e transferências do auxílio emergencial segue conforme o mês de aniversário dos beneficiários. Confira as datas abaixo:

  • Nascidos em janeiro: 6 de julho
  • Nascidos em fevereiro: 7 de julho
  • Nascidos em março 8 de julho
  • Nascidos em abril: 9 de julho
  • Nascidos em maio: 10 de julho
  • Nascidos em junho: 11 de julho
  • Nascidos em julho: 13 de julho
  • Nascidos em agosto: 14 de julho
  • Nascidos em setembro: 15 de julho
  • Nascidos em outubro: 16 de julho
  • Nascidos em novembro: 17 de julho
  • Nascidos em dezembro: 18 de julho.

Bolsonaro afirma que vetará coronavoucher caso as parcelas ultrapassem R$ 400

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, na última quinta-feira (11), que iria vetar os valores das novas parcelas do auxílio emergencial, caso o Congresso avalie que elas tenham que ser maior do que R$ 400. Ele destacou que há um consenso para o pagamento de novas parcelas do benefício, mas o valor delas ainda não foi divulgado oficialmente.

De acordo com Bolsonaro, caso as próximas parcelas do coronavoucher sejam pagas com o mesmo valor das anteriores (R$ 600), o Brasil terá um aumento excessivo de seu endividamento.

Veja também: Coronavoucher: ‘é o maior pagamento da história do Brasil’, diz presidente da Caixa

“A parcela não seria de R$ 600, a gente não pode gastar mais R$ 100 bilhões de . Não tem como. Eu gostaria que fosse possível”, afirmou o presidente da República sobre as parcelas de coronavoucher.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião