Coronavoucher: pagamento da 4° parcela começa na próxima segunda

Coronavoucher: pagamento da 4° parcela começa na próxima segunda
Coronavoucher:

Os brasileiros que já receberam a terceira parcela do auxílio emergencial de R$ 600, apelidado de coronavoucher, e que também contemplam o programa Bolsa Família, começarão a receber a quarta parcela do benefício emergencial na próxima segunda-feira (20), de acordo com o calendário de pagamento. As datas de pagamento seguem conforme o NIS de cada beneficiário.

Vale destacar que o calendário para os demais beneficiários do coronavoucher, ou seja, aqueles que não são inscritos no programa Bolsa Família, ainda não foi divulgado pelo Ministério da Cidadania.

Os brasileiros inscritos no Bolsa Família não precisaram se inscrever para receber o auxílio emergencial, já que o pagamento é automático, desde que o valor pago pelo coronavoucher seja maior que o montante pago pelo Bolsa Família.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Confira as datas de pagamento da quarta parcela do auxílio emergencial, para os trabalhadores inscritos no Bolsa Família:

  • NIS com final 1: 20 de julho;
  • NIS com final 2: 21 de julho;
  • NIS com final 3: 22 de julho;
  • NIS com final 4: 23 de julho;
  • NIS com final 5: 24 de julho;
  • NIS com final 6: 27 de julho;
  • NIS com final 7: 28 de julho;
  • NIS com final 8: 29 de julho;
  • NIS com final 9: 30 de julho;
  • NIS com final 0: 31 de julho.

Coronavoucher é prorrogado por mais dois meses

O Presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), assinou no final de junho, durante uma cerimônia no Palácio do Planalto, um decreto referente a prorrogação do pagamento do auxílio emergencial de R$ 600.

Na mesma cerimônia, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a proposta é que sejam pagas mais quatro parcelas do coronovoucher, só que em apenas dois meses. Contudo, o a soma das parcelas totalizará R$ 600 por mês.

Veja também: Coronavoucher: ‘não é dinheiro que está sobrando’, diz Bolsonaro

Guedes explicou que o pagamento deve acontecer da seguinte forma:

  • R$ 500 pagos no início do primeiro mês extra;
  • R$ 100 pagos no fim do primeiro mês;
  • R$ 300 pagos no início do segundo mês;
  • R$ 300 no fim do segundo mês.

Guedes afirmou que o parcelamento foi pensado para fazer uma “aterrissagem inteligente” do coronavoucher e destacou que o governo deverá trabalhar no programa “Renda Brasil” a seguir.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião