Finanças pessoais

Coronavoucher: 100 mil brasileiros transferiram o auxílio com cartão virtual

0

Cerca de 100 mil beneficiários do auxílio emergencial, conhecido como coronavoucher, usaram o cartão de débito virtual criado pela Caixa para transferir o dinheiro do auxílio para uma conta no Mercado Pago ou pagaram um boleto gerado no aplicativo da empresa argentina, para que o montante caísse em uma conta da fintech e os brasileiros pudessem sacar ou transferir o valor antes dia 30 de maio.

O pagamento da segunda parcela do coronavoucher começou a ser feito na última segunda-feira (20) para os trabalhadores que tiveram seus cadastros aprovados pela Dataprev na última semana. Na mesma data passou a valer uma medida que proíbe o saque e a transferência do valor até o dia 30 de maio. Contudo a proibição só é valida de conta para conta.

Entretanto, os beneficiários que transferirem o valor para a conta no Mercado Pago podem sacá-lo em caixas eletrônicos do Banco 24 Horas.

Garanta acesso gratuito à eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas com um único cadastro. Clique para saber mais.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, informou que a proibição visava evitar filas nas agências, já que algumas pessoas estavam transferindo o dinheiro para conta de familiares ou amigos e assim sacando o montante antes da data estipulada.

Já o vice-presidente do Mercado Pago, Túlio Oliveira, declarou que “o cliente está escolhendo a melhor solução para ele”.

Beneficiários do coronavoucher podem emitir cartão de débito virtual

Na última sexta-feira (15) a Caixa informou que os brasileiros que receberem o auxílio emergencial de R$ 600, através da Poupança Social Digital poderiam emitir um cartão de débito virtual, gratuitamente, para realizarem compras online em plataformas que aceitem débito.

Com isso, os vendedores do Mercado Pago e do Mercado Livre observaram um aumento de 35% nas transações com o cartão.

Saiba mais: Coronavoucher: Confira o calendário de pagamento da 2ª parcela do auxílio

Segundo a Caixa, a cobrança do valor das compras feitas online e pagas com o cartão virtual, são debitadas diretamente na conta do beneficiário do coronavoucher. Frente a isso, os trabalhadores tem menos um motivo para que precisem sair de casa durante o período de pandemia de coronavírus (Covid-19).

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Laura Moutinho
Estagiaria na Suno Notícias, escreve notícias que afetam o mercado financeiro. Estuda administração na Universidade Presbiteriana Mackenzie.