Negócios

Coronavírus: JBS (JBSS3) prevê alta em exportações para China

0

Os executivos da JBS (JBSS3) informaram após uma teleconferência nessa quinta-feira (26) que a empresa pode encontrar dificuldades logísticas, como a paralisação dos portos e falta de contêineres devido a crise do coronavírus, mas salientaram que as exportações não devem ser afetadas devido a alta demanda chinesa.

Entretanto, o presidente-executivo da JBS, Gilberto Tomazoni informou que há ainda pouco tempo para avaliar todos os efeitos que o coronavírus tenha causado nas vendas de alimentos.

Tomazoni indicou “a China dá sinais claros de recuperação. O tráfego nas principais rodovias subiu mais de 80% e compras da China voltaram fortes”.

E apesar de algumas exportações de cargas congeladas  para China terem sido interrompidas, os executivos da companhia afirmaram que não houve influência nas cargas da JBS.

Saiba mais: JBS (JBSS3) registra lucro líquido de R$ 6 bilhões em 2019

Eles ainda salientaram que a companhia busca fortalecer os relacionamentos com operadores logísticos a longo prazo para que desse modo as exportações podem continuem avançando.

Além disso, Tomazoni afirmou que a prioridade da empresa é manter empregos e continuar com a produção de alimentos.

Em março a China reduziu as tarifas de importação de carnes de frango, suína e bovina dos Estados Unidos em aproximadamente um terço. Desse modo, a JBS estipula que os EUA atenderão  30% da demanda chinesa nesse ano, beneficiando a empresa no país.

JBS tem aumento de oferta devido a crise do coronavírus

A empresa de alimentos viu um aumento na demanda de carne para os supermercados com o surgimento da nova doença. Anteriormente a companhia ofertava mais para restaurantes e redes de ‘fast-foods’.

Essa mudança de mercado ocorreu pois as pessoas estavam estocando alimentos em casa por causa da crise do coronavírus. Em vista disso, a JBS teve que aumentar muito sua produção para poder atender os mercados norte-americanos.

A medida foi tomada para evitar um possível desabastecimento das gôndolas, mas terá que ser revertida em breve segundo os executivos da empresa.

Tamazoni afirmou que “está sendo muito responsável em movimentos de preços para não causar qualquer pânico no mercado”.

Por fim, o presidente-executivo da empresa disse que busca o crescimento da JBS, mas que no momento, devido a crise do coronavírus, a empresa deve focar nas necessidades de seus funcionários e clientes.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Laura Moutinho
Estagiaria na Suno Notícias, escreve notícias que afetam o mercado financeiro. Estuda administração na Universidade Presbiteriana Mackenzie.