Economia

Coronavírus: Guedes diz que economia brasileira pode crescer 2,5% em 2020

0

O ministro da Economia,Paulo Guedes, disse, no último domingo (15), que o Brasil ainda pode crescer cerca de 2,5% neste ano. Segundo o ministro, a “dinâmica de crescimento” do País “vai aguentar bem” aos efeitos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“Se nos entregarmos (à crise) e se um continuar brigando com o outro, isso será a ‘psicologia do fracasso’. Aí sim, vai haver uma desaceleração econômica. Mas nós temos uma dinâmica própria de crescimento, e o Brasil pode perfeitamente crescer 2% ou 2,5% com mundo caindo”, disse Guedes em entrevista à CNN Brasil.

Saiba Mais: Bolsa em queda livre!? Aproveita as maiores oportunidades da bolsa brasileira com nosso acesso Suno Premium

Apesar da declaração do ministro, os especialistas do mercado financeiro, responsáveis pela elaboração do Boletim Focus diminuíram a previsão do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro de 1,99% para 1,68% em 2020. No início do ano, a previsão de crescimento era de 2,30%.

Segundo o ministro da pasta econômica, as medidas anunciadas para combater os efeitos da pandemia, juntamente com os R$ 5 bilhões destinados ao Ministério da Saúde, serão suficientes.

Governo anuncia medidas para combater os efeitos do coronavírus na economia

O Governo Federal deve anunciar nesta segunda-feira (16) novas medidas para enfrentar os efeitos do coronavírus na economia brasileira.

O pacote intitulado pelo ministro da Economia como “pacote antivírus” inclui medidas para auxiliar os setores econômicos e sociais mais atingidos pelo coronavírus. Ao todo, são esperada cerca de 20 ações da pasta econômica.

o pacote inclui benefícios aos idosos, estímulos ao setor da construção civil, linhas de créditos para empresa ligado ao turismo e auxilio a companhias aéreas.

Aos idosos, o Ministério da Economia pretende facilitar o acesso ao 13° salário de aposentados e pensionistas. Antes, a primeira parcela deveria ser paga em agosto, no entanto, com a nova medida, a parcela deverá ser paga em abril, liberando R$ 24 bilhões na economia. A segunda parcela, paga em dezembro, também deve ser adiantada.

Saiba Mais: Coronavírus: Governo deve anunciar medidas para estimular a economia

Para as companhias aéreas, autorização do Banco do Brasil (BBAS3) para que fiquem até quatro meses sem pagar juros. Se houver necessidade, para garantir a medida, o Banco Central entra com operações de redesconto. Ademais, o plano inclui abertura de linha de empréstimo de capital de giro para as companhias no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O ministro da Economia informou também a criação do grupo de monitoramento, que acompanha os impactos do novo coronavírus. “Sempre que esse monitoramento mostrar riscos para algum setor da economia, vamos agir imediatamente”.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Poliana Santos
Poliana Santos escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na Rádio Gazeta AM, onde era responsável pela produção do programa Bom Dia Gazeta. É estudante da Faculdade Cásper Líbero.