Coronavírus: American Airlines e United anunciam demissões

Coronavírus: American Airlines e United anunciam demissões
A American Airlines e a United começarão a organizar cortes de empregos, frente a pandemia de coronavírus.

A American Airlines e a United Airlines (NASDAQ: UAL) informaram nessa quarta-feira (30) que começarão a organizar cortes de empregos, uma vez que as negociações referente a ampliação do apoio do governo americano ao setor aéreo fracassaram.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

Juntas, as empresas podem cortar mais de 30 mil vagas de emprego, já que a American Airlines se organiza para demitir 19 mil funcionários esse mês, conforme já havia sinalizado,  enquanto a United reduzirá sua força de trabalho em 13 mil.

Contudo, as demissões podem não acontecer, caso haja um acordo com o governo nos próximos dias. Nesse sentido, o diretor executivo da American Airlines, Doug Parker, afirmou em uma carta aos funcionários que, se os dirigentes republicanos e democratas chegarem a um acordo, a companhia reconvocará os membros da equipe afetados pelas demissões, segundo informou a agência de notícias francesa AFP que teve acesso à carta.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Segundo a AFP, a United Airlines enviou uma mensagem no mesmo sentido para seus colaboradores.

O setor aéreo foi fortemente afetado pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Dados oficiais mostram que, em comparação com 2019, o total de passageiros que passam pelo controle de segurança em aeroportos americanos teve um recuo entre 60% e 70%.

American Airlines prevê queda de 25% em capacidade internacional para 2021

Em meados de julho, a American Airlines previa uma queda de 25% em sua capacidade internacional de voos no verão de 2021 em comparação ao mesmo período de 2019.

A diminuição ocorrerá em um momento em que a American Airlines está reduzindo suas operações para lidar com a queda na demanda de viagens causada pela pandemia de coronavírus (covid-19).

“Em um esforço para atender à baixa demanda resultante do surto de coronavírus, a companhia aérea realinhará sua rede com o objetivo de melhorar a lucratividade a longo prazo”, informou a American Airlines em comunicado.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião