CoronaVac não causou efeito colateral em 94,7% dos voluntários, aponta estudo

CoronaVac não causou efeito colateral em 94,7% dos voluntários, aponta estudo
Vacina da Moderna contra covid-19 apresenta eficácia de 94,5%

De acordo com dados presentes em um estudo divulgado na tarde desta quarta-feira (23), pelo governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB), 94,7% dos 50.027 voluntários testados na China não tiveram nenhuma reação à vacina CoronaVac, que se encontra em estágio final de desenvolvimento.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

Doria afirmou que os “resultados comprovam que a Coronavac tem um excelente perfil de segurança”. Além disso, o governador do Estado de São Paulo disse que ela comprovou “a manifestação feita pela Organização Mundial da Saúde, indicando a Coronavac como uma das 8 mais promissoras vacinas em desenvolvimento no seu estágio final em todo o mundo”.

O estudo realizado na China em relação a vacina feita pela Sinovac em parceria com o Instituto Butantan testou 50.027 voluntários no país asiático e houve efeitos colaterais em apenas 5,36% das pessoas que foram imunizadas. Entre os sintomas sentidos pelos voluntários, tiveram: dores leves no local da aplicação (3,08%), fadiga (1,53%) e febre moderada (0,21%).

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

A testagem em crianças e idosos teve início neste mês na China. Foram vacinadas 422 pessoas maiores de 60 anos. Neste grupo, a imunização teve 97% de eficácia. Já entre as pessoas com entre 3 e 17 anos, foram 552 voluntários.

O Brasil se encontra na fase 3 da testagem da vacina contra o coronavírus, CoronaVac. Do total de voluntários que receberão a vacina no país (9 mil), 5.584 voluntários já foram imunizados. De acordo com o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, o número de testados aumentará para 13 mil voluntários no Brasil em breve.

A Anvisa já aprovou a expansão para as próximas fases de testes, segundo Covas. Crianças e idosos deverão fazer parte deste próximo passo dos testes.

O chefe da Sinovac (empresa que está desenvolvendo a CoronaVac) na América Latina, Xing Han, participou, nesta quarta-feira, da entrevista coletiva, junto ao governador de São Paulo, João Doria, e assegurou que em até dois meses os resultados finais da fase 3 deverão ser divulgados.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião