Banco Central decide cortar taxa Selic de 6,5% para 6%

Banco Central decide cortar taxa Selic de 6,5% para 6%
O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) decidiu cortar a taxa básica de juros (Selic) em 0,75%. Com o novo corte a taxa caiu para 3%, uma nova mínima histórica.

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) decidiu  nessa quarta-feira (31) reduzir a taxa básica de juros (Selic) em 0,5 ponto percentual. A taxa que era de 6,5% agora é de 6%.

O corte na Selic ocorreu após 16 meses de estabilidade. A redução superou as expectativas dos analistas, que previam um corte de 0,25%. Com essa decisão, a taxa básica de juros caiu para a menor nível desde 1986, ano de início da série histórica da instituição.

Entre as causas que levaram a essa decisão do Copom estão:

  • a desaceleração econômica
  • a inflação abaixo da meta
  • o corte de juros nos Estados Unidos

O corte na taxa Selic afetará o rendimento das aplicações na poupança e nos investimentos em renda fixa.

O rendimento dos investimentos na poupança é de 70% da Selic somada à Taxa Referencial estabelecida pelo Banco Central. Dessa forma, as aplicações agora renderão 4,2% ao ano mais a taxa calculada pelo BC.

Boletim Focus e a taxa Selic

Os analistas financeiros entrevistados pelo Banco Central no Boletim Focus, preveem que a taxa Selic encerre 2019 em 5,50%. O relatório foi divulgado pelo banco na última segunda-feira (29). Para 2020, a previsão é de que a taxa de juros básicos encerre em 5,75%.

Saiba mais: Boletim Focus mantém previsão de aumento do PIB 

Meta para a inflação em 2019

A manutenção da taxa básica de juros, pelo Copom, tem por objetivo o cumprimento da meta de inflação determinada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Assim, a taxa Selic é uma ferramenta para conduzir a política monetária do País.

Confira as metas estabelecidas pelo CMN para a inflação nos próximos anos:

  • 2019: 4,25%, com intervalo de tolerância de 1,5% (entre 2,75% e 5,75%)
  • 2020: 4%, com intervalo de tolerância de 1,5% (entre 2,5% e 5,5%)

Assim, há duas alternativas para guiar a manutenção dos juros:

  1. Projeções para inflação alinhadas à meta do CMN: o Copom reduz os juros básicos.
  2. Projeções para inflação não alinhadas à meta do CMN: o Copom aumenta os juros básicos.

Saiba mais – Boletim Focus: Previsão do PIB é reduzida pela 16ª vez seguida

Nas últimas semanas, os investidores tem subido a estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Mercado (IPCA) de 2019. No último Boletim Focus, a projeção aumentou de 4,01% a 4,04%.

O IPCA é o indicador oficial da inflação no País, e é divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mensalmente.

O IBGE divulgou em 10 de abril que o IPCA de março foi de 0,75%. No acumulado do ano, a inflação ficou em 1,51% e no acumulado de 12 meses, 4,58%.

O IPCA do mês de abril ainda não foi divulgado pelo órgão. Contudo, a prévia mensal da inflação, o IPCA-15, foi de 0,72% segundo o IBGE. 

Calendário Copom 2019

Confira abaixo quando ocorrerão as próximas reuniões do Copom neste ano:

  • 225ª: 17 e 18 de setembro
  • 226ª: 29 e 30 de outubro
  • 227ª: 10 e 11 de dezembro

As reuniões do Copom serão para realizar a manutenção da taxa Selic.

Carlo Cauti

Compartilhe sua opinião