Confira os cinco fundos imobiliários que mais valorizaram em fevereiro

Confira os cinco fundos imobiliários que mais valorizaram em fevereiro
Financiamento de imóveis tem alta de 8,2% em maio, diz Abecip

O número de investidores em fundos imobiliários (FIIs) no Brasil saltou 13,01% em janeiro deste ano e chegou a marca de 715 mil pessoas. A informação faz parte do boletim do mercado imobiliário divulgado pela B3 na última sexta-feira (28).

Um dos fatores que pode explicar a alta é a queda da taxa básica de juros (Selic) ao menor nível histórico. Isso porque, neste cenário, as aplicações em renda fixa se tornam menos rentáveis. Portanto, os investidores preferem direcionar seus recursos para a renda variável, ao investir em ações e fundos imobiliários, por exemplo.

Na renda variável, diversos fatores podem contribuir para a valorização ou desvalorização de uma cota. Entre eles, a economia do País, o cenário externo e a administração da empresa ou, no caso dos FIIs, dos imóveis.

Para entender melhor essa variação, o SUNO Notícias organizou uma lista com os cinco fundos que mais valorizaram no mês de fevereiro.

Fundos imobiliários que mais valorizaram

ELDO11B

O Fundo de Investimento Imobiliário Eldorado (ELDO11B) lidera a lista de FIIs que mais valorizaram durante o mês de fevereiro. No período, o fundo registrou alta de 261,48%, a R$ 778,98.

Este FII é responsável por 50% do Prédio Shopping Center Eldorado e 50% do Edifício Garagem. Os dois estabelecimentos estão localizados na Avenida Rebouças, na cidade de São Paulo.

O ELDO11B é administrado pela Rio Bravo Investimentos e possui uma taxa de administração de 0,065% ao ano, que é cobrado sobre o patrimônio líquido. O ativo, constituído em 2010, possui prazo indeterminado.

FPNG11

O Pedra Negra Renda Imobiliária (FPNG11) é o segundo FII que mais valorizou neste mês, com alta de 98,99%. Dessa forma, os papéis são negociados a R$ 70,32.

O fundo, gerido pela BR-CAPITAL DTVM, é responsável por imóveis no segmento de lajes comerciais.

FIVN11

O Fundo de Investimento Imobiliário Vida Nova (FIVN11) valorizou 16,39% durante o mês de fevereiro, a R$ 7,10. Com isso, este FII, que atua no segmento de shopping centers, ocupa a terceira posição na lista de fundos que mais valorizaram em fevereiro.

O FIVN11 é responsável pelo Shopping Taboão Plaza Outlet, localizado em Taboão da Serra, em São Paulo. A propriedade conta com 66 lojas, além de possuir um complexo comercial de 380 escritórios, um hotel e um centro de convenções.

Este ativo é administrado pela Oliveira Trust. Além disso, as cotas do Vida Nova podem ser adquiridas por qualquer tipo de investidor.

DOVL11B

O Dovel Fundo de Investimento Imobiliário (DOVL11B) foi o quarto fundo que mais valorizou ao longo deste mês. Neste período, a valorização foi de 14,37%, chegando a R$ 1.074,15.

O DOVL11B possui dois imóveis comerciais, o ANM Retrofit e o Bay View. Ambas propriedades estão localizadas na Avenida General Justo, no Rio de Janeiro. Este FII é administrado pela BNY Mellon Serviços Financeiros e conta com uma taxa de administração mensal de R$ 30 mil.

O IPO deste fundo ocorreu no dia 01/04/2009. Além disso, este ativo possui um prazo de duração de 24 anos a partir da primeira integralização de cotas.

ORPD11

O Ouro Preto Desenvolvimento Imobiliário I (ORPD11) é o fundo que encerra a lista de maiores valorizações do mês de fevereiro. Neste mês, a alta do ativo foi de 13,61%, a R$ 90,91.

Leia também: Número de investidores em fundos imobiliários sobe 13% e atinge marco de 715 mil

O fundo, administrado pela PLANNER CORRETORA DE VALORES S.A, possui uma taxa de administração é de 1,60% ao ano sobre patrimônio líquido. Este FII busca investir em ações, debêntures, bônus de subscrição e outros títulos e valores mobiliários conversíveis.

Investir mas com cuidado

Antes de qualquer investimento em fundos imobiliários é importante ressaltar que quitar as dívidas deve sempre ser a prioridade. Os analistas da SUNO Research sempre salientam que é necessário antes poupar dinheiro para depois investir. Além disso, é fundamental nunca se endividar para investir ou investir endividado.

Giovanna Oliveira

Compartilhe sua opinião