Confira os 5 fundos imobiliários que mais desvalorizaram em maio

Confira os 5 fundos imobiliários que mais desvalorizaram em maio
Fundos Imobiliários

Devido a chegada da pandemia de coronavírus ao Brasil, a partir do início de março, o mercado financeiro local começou a oscilar bastante. Assim, ações e papéis de Fundos Imobiliários na Bolsa de Valores de São Paulo foram fortemente atingidos. O mercado, entretanto, voltou a ter uma certa estabilidade entre abril e maio.

Muitos fundos imobiliários, dos mais diversos tipos e setores de atuação, registraram quedas repentinas desde a chegada da pandemia no País. Alguns exemplos são os fundos de shopping que, em sua maioria, apresentaram queda devido ao fechamento dos empreendimentos de forma parcial ou total, com o intuito de mitigar a disseminação da Covid-19.

Garanta acesso gratuito à eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas com um único cadastro. Clique para saber mais!

Reforçando que esta matéria não é uma recomendação de investimento, veja os cinco FIIs com menor rentabilidade no mês de maio.

RBGS11

O RB Capital General Shopping Sulacap (RBGS11) é um FII do tipo de tijolo, constituído em 2011. O fundo é administrado pela Oliveira Trust DTVM S.A.

O fundo atua diretamente com empreendimentos de shoppings. Em maio, o RGBS11 teve desvalorização de 7,67%.

SARE11

O Santander Renda de Alugueis (SARE11) é um fundo imobiliário que tem como principal foco o investimento de seus recursos em ativos imobiliários. O FII foi constituído em 2019, é administrado pelo Santander Securities Services Brasil DTVM e é um fundo com classificação indefinida. O SARE11, em maio, desvalorizou 7,70%.

TRNT11

O FII Torre Norte (TRNT11)  é um FII do tipo “tijolo” e tem como principal foco o investimento em escritórios. O TRNT11 detém 100% do empreendimento Torre Norte, situado no Centro Empresarial Nações Unidas, na Zona Sul da cidade de São Paulo.

O TRNT11 foi constituído em 2001 e é gerenciado pelo BTG Pactual Serviços Financeiros S.A DTVM. Em maio, o fundo teve uma desvalorização de 6,70%.

RBFF11

O fundo Rio Bravo IFIX (RBFF11) também é do tipo papel, porém seus investimentos são voltados a FOF (Fundo de Fundos). Este FII foi constituído em março de 2013 e tem como objetivo o investimento a longo prazo em CRI, LH e LCI. O RBFF11 desvalorizou 7,10% no mês de maio.

Veja também: Os FIIs vão voltar após essa crise, diz André Bacci

SADI11

O Fundo Imobiliário Santander Papeis Imobiliários CDI (SADI11) foi constituído em fevereiro do ano passado. O FII é do tipo papel e seus principais investimentos são em CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários. O SADI11 apresentou uma desvalorização de 4,11% no mês de maio.

O Suno Notícias alerta que esta nota sobre fundos imobiliários não configura, de forma alguma, uma recomendação de investimento.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião