CEO da Oi (OIBR3) presidirá sindicato de operadoras

CEO da Oi (OIBR3) presidirá sindicato de operadoras
O CEO da Oi (OIBR3), Rodrigo Abreu, irá assumir a presidência do SindiTelebrasil, sindicato das operadoras de telefonia.

O CEO da Oi (OIBR3), Rodrigo Abreu, irá assumir a presidência do SindiTelebrasil, Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal. A posse será realizada nesta terça-feira (29). As informações são do jornal “O Estado de S.Paulo”.

O presidente da Oi permanecerá no cargo durante um ano, no lugar de Luiz Alexandre Garcia, presidente do Conselho de Administração da Algar Telecom, e que liderou o sindicato pelos últimos cinco anos. Fazem parte do sindicato as empresas:

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

Rodrigo Abreu conciliará a presidência da Oi e da SindiTelebrasil junto à da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil) e da Federação Brasileira de Telecomunicações (Febratel). O anúncio oficial da transmissão de cargo acontecerá durante a programação do Painel Telebrasil 2020, a partir de 9h40 desta terça-feira, e que será transmitida de forma on-line no site do sindicato.

Oi pode diminuir dívida bilionária após negociação com AGU

A Oi e a Advocacia Geral da União (AGU) estão realizando negociações que podem diminuir, em até 50%, a dívida pública de R$ 13 bilhões da tele, que se encontra em processo de recuperação judicial. A dívida bilionária é referente a mais de mil multas aplicadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) sobre a operadora, em um período de mais de dez anos.

Segundo informações do “Estado de S.Paulo”, a avaliação do mérito do acordo já possui parecer favorável dos servidores da AGU, além também do Ministério das Comunicações, que também faz parte do processo. Estão faltando apenas os ajustes finais e a redação dos termos, que podem demorar de 30 a 60 dias para serem finalizados.

A Oi teve seu aditamento ao plano de recuperação judicial aprovado pelos credores no início deste mês. O plano  da tele já destacava que a dívida de R$ 13 bilhões seria tratada sob as condições da lei 13.988, que começou a vigorar em abril deste ano.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião