Negócios

Castello Branco: monopólio da Petrobras é inaceitável

0

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, declarou nesta terça-feira (11) que o monopólio da estatal petrolífera é inaceitável. O executivo indicou a venda de refinarias da estatal como forma de aumentar a concorrência no mercado.

Saiba mais: Petrobras recebe R$ 265 milhões da Braskem em acordo de leniência

Segundo Castello Branco, a Petrobras detém 98% do mercado de refino brasileiro. Ele declarou que, em consequência disso, o País vive situações absurdas. O presidente da estatal discursou durante uma audiência pública na Câmara dos Deputados.

Consequências do monopólio

O executivo afirmou que a refinaria da Petrobras em Cubatão, litoral de São Paulo, é a única que produz combustível de aviação. Entretanto, como a refinaria está parada nesta semana para manutenção, muitos aeroportos ficaram sem combustível e houve problemas na importação da gasolina de aviação.

“Isso é um absurdo, não pode acontecer, mas aconteceu porque, no fundo, tem uma empresa que detém esse monopólio. Monopólio é inaceitável em uma sociedade livre”, afirmou o presidente da petrolífera.

Saiba mais: Petrobras pretende vender metade de suas refinarias em junho

Castello Branco ressaltou que a Petrobras está trabalhando para que esse problema não ocorra novamente. A antecipação do fim da manutenção da refinaria, previsto para dezembro de 2019, é uma medida para amenizar o problema.

A Petrobras tem importado combustível para atender ao mercado desde que a refinaria de Cubatão foi parada para a manutenção. A pausa teve início no final do ano passado.

Acordo entre Petrobras e Cade

A Petrobras e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) chegaram a um acordo sobre o fim de uma investigação sobre suposto abuso econômico por parte da estatal. O Termo de Cessação de Conduta (TCC) deverá ser assinado nesta terça-feira pelo órgão e pela estatal.

 

Saiba mais: Petrobras e Cade devem fechar acordo sobre venda de refinarias

A assinatura do termo ajudará a estatal no plano de vendas de sua rede de refino. A proposta apresentada para encerrar a investigação prevê venda de 50% das refinarias.

Castello Branco salientou na Câmara que a venda das refinarias não significa um desmonte da Petrobras.

Compartilhe a sua opinião

Giovanna Almeida
Giovanna Oliveira escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, foi repórter do portal de jornalismo da ESPM-SP e produziu conteúdo para a Corinthians TV. É estudante da ESPM.