Negócios

Carrefour vende filial chinesa por 620 milhões de euros ao Suning.com

0

O Carrefour vai ceder 80% de suas atividades na China para o grupo Suning.com por 620 milhões de euros. O anúncio foi feito neste domingo (23) pela própria empresa. O fechamento do acordo precisa passar pela autorização das autoridades de concorrência da China.

A transação, que será paga em dinheiro, avalia o Carrefour China em 1,4 bilhão de euros. O grupo Carrefour ainda ficará com 20% da participação da filial chinesa, ficando com dois assentos no conselho de vigilância da empresa na China.

Por meio de comunicado, o grupo francês afirmou que a transação será concluída até o final deste ano e que os 620 milhões de euros “poderá sofrer ajustes, em função da evolução do financiamento da dívida e da necessidade de fundos de rolamento do Carrefour China“.

Saiba mais: Subsidiária do Carrefour pode estornar R$ 815 mi se perder ação de ICMS

Operações do Carrefour da China e a Suning.com

O Carrefour está presente na China desde 1995, operando 210 hipermercados e 24 lojas menores. No acumulado de 2018, a filial do grupo francês registrou um aumento de quase 10% em seus rendimentos na comparação anual, chegando a 3,6 milhões de euros e Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) de 66 milhões de euros.

A Suning.com é um grupo de distribuição chinês que contém mais de 8,8 mil supermercados em mais de 700 cidades. Além disso, de acordo com o comunicado, a empresa é a terceira maior plataforma de e-commerce da China.

O acordo fechado com a Suning.com estima uma série de formas para a cessão dos 20% de participação residual do grupo francês para os próximos quatro anos.

De acordo com o comunicado, “a operação valoriza o Carrefour China na base de valor de empresa de 1,4 bilhão de euros”. Esse valor está dividido entre os fundos próprios, as dívidas e os valores minoritários.

Compartilhe a sua opinião

Renan Bandeira
Renan Bandeira escreve sobre política e economia para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou em uma rede de televisão, onde fazia reportagens sobre os mesmos temas. Estuda na Universidade Metodista de São Paulo.