Negócios

Carnaval: veja 3 ações com mesmo preço dos produtos mais consumidos

0

Todo começo de ano, o carnaval é uma das épocas mais esperadas pelos turistas de todo o mundo e empresários de todos os segmentos.

Companhias dos mais variados setores se preparam com antecedência para os quatro dias de carnaval, quando rios de dinheiro serão gastos nas principais cidades brasileiras.

No Rio de Janeiro, por exemplo, um dos locais mais aclamados nesta época do ano, foram movimentados R$ 3,78 bilhões no carnaval de 2019. A receita de setores de comércio e serviços cresceu 26%, segundo a prefeitura da cidade.

No entanto, é necessário ter cautela em momentos de euforia. Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o percentual de famílias com alguma dívida foi para 65,6% em dezembro, maior marca para o mês desde 2010.

Saiba mais: Veja como organizar as contas do início de ano

Além disso, o começo de ano é marcado por uma série de compromissos financeiros: material escolar, IPTU, IPVA e, mais pra frente, chega a época da declaração do Imposto de Renda (IRPF).

Portanto, nada melhor do que, em detrimento de um gasto excessivo nas festas de carnaval, se programar financeiramente para suas obrigações e investir com foco no longo prazo.

Lembrando que rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura e que esta matéria não é uma recomendação de investimento, confira quais são os produtos ou serviços mais consumidos no carnaval, além de quais ações podem ser compradas com estes custos.

Cerveja

No Brasil e no mundo, a cerveja é um dos produtos favoritos em comemorações e feriados, quem dirá no carnaval.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil), na época do carnaval, as vendas e o faturamento do setor cervejeiro crescem aproximadamente 40%. Em 2019, por exemplo, os brasileiros consumiram 1,4 bilhão de litros. Além do mais, no verão, segundo a consultoria Kantar, o brasileiro gasta 60% mais consumo de cerveja fora do lar.

Uma forma de se aproveitar do aumento do consumo da bebida é ser acionista da empresa que a vende. E quem faz isso é a Ambev (ABEV3). Confira algumas das marcas de cerveja que são controladas pela companhia:

  • Brahma
  • Skol
  • Budweiser
  • Original
  • Stella Artois

A companhia nasceu em 1999, da união entre as centenárias Cervejaria Brahma e a Companhia Antarctica. Está presente em 19 países, com 100 centros de distribuição direta e emprega mais de 35 mil pessoas.

Não somente de cerveja vive a Ambev. A companhia controla a operação dos famosos refrigerantes Guaraná Antarctica, H20 e Pepsi.

Confira: Ambev anuncia instrumento financeiro de R$ 1,5 bi em parceria com bancos

A Ambev apresentou um lucro líquido de R$ 2,44 bilhões no terceiro trimestre do ano passado. O resultado, no entanto, foi 15,8% menor do que o reportado no mesmo período do ano anterior.

O valor de mercado da Ambev é R$ 263,6 bilhões. No acumulado de 2019, as ações da empresa apresentaram uma valorização de 24,08%. Os papéis ordinários da companhia, na última terça-feira (18) fecharam a R$ 16,18, enquanto um engradado de cerveja Brahma custa cerca de R$ 35.

Churrasco

O consumo de cerveja no carnaval é ainda maior se em meio a um churrasco. E, entre várias empresas ligadas ao setor agropecuário, uma delas é a JBS (JBSS3).

A JBS é uma multinacional e é uma das líderes globais da indústria de alimentos. Sediada em São Paulo, a empresa está presente em 15 países, totalizando 230 mil colaboradores.

A empresa possui um portfólio de produtos variado, com opções de carnes in natura e congelados e pratos prontos para consumo. Algumas das marcas sob o guarda-chuva da JBS são a Swift, com forte presença no mercado norte-americano, e a Seara.

Além trabalhar no mercado agropecuário, a empresa também opera em negócios interligados ao produto chefe, como couros, biodiesel e colágeno.

No terceiro trimestre de 2019, a JBS apresentou um lucro líquido de R$ 356,7 milhões, revertendo o prejuízo de R$ 133,5 milhões do mesmo período de 2018. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi recorde, de R$ 5,9 bilhões.

O crescimento dos últimos resultados da empresa acompanham o desempenho das suas ações. Apenas em 2019, os papéis valorizaram cerca de 120%.

Embora resultado passado não seja garantia de resultado futuro, os números da JBS, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), podem continuar crescendo. Segundo a confederação, o setor agropecuário prevê um faturamento de R$ 670 bilhões neste ano, com aumento de 9,8% na receita.

Gastronomia

Não somente o carnaval, mas todos os feriados são uma época propícia à conhecer lugares diferentes e uma gastronomia requintada. Existe um fato em comum entre os famosos restaurantes Gero Panini, Trattoria e Fasano: todos são controlados pela JHSF (JHSF3).

Criada em 1972, a JHSF é líder do setor imobiliário de alta renda do País, com grande participação no mercado de shopping centers e hotéis, além do gastronômico. De acordo com a companhia, “os projetos e investimentos da empresa são voltados para clientes especiais e motivados, em primeiro lugar, pela qualidade e excelência”.

Veja também: JHSF anuncia Hotel Fasano em Nova York, o primeiro fora da América do Sul

Nos últimos dias, a JHSF divulgou divulgou seu resultado de 2019. De acordo com a companhia, o lucro líquido anual cresceu 508,5%, atingindo R$ 326,7 milhões.

“Acreditamos que, aliado à busca pela excelência na produtividade e eficiência operacional, executamos a gestão financeira de forma disciplinada, visando altas taxas de Retorno Sobre o Capital Investido (ROIC) e objetivando a melhoria do fluxo de caixa, a otimização dos investimentos e a preservação da liquidez”, informou a administração da empresa em comunicado.

Nos últimos 12 meses, os papéis da empresa valorizaram expressivos 283,37%. As ações da JHSF atualmente são negociados por volta dos R$ 8.

Por tanto, o carnaval é uma época festiva e de descanso, mas sempre é necessário frisar que não se pode deixar passar o projeto de longo prazo estipulado. O investidor de valor deve estar atento aos cenários que o cercam.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Jader Lazarini
Jader Lazarini escreve sobre mercado financeiro, política e economia para o portal de notícias da Suno Research. Anteriormente, trabalhou na Unidas. Estuda Relações Internacionais na Universidade Anhembi Morumbi.