Imóveis

Caixa oferecerá crédito imobiliário a 2,95% ao ano mais IPCA

0

A Caixa Econômica Federal terá uma nova modalidade de financiamento imobiliário corrigida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidos Amplo (IPCA), o índice oficial de inflação brasileiro. O anuncio foi realizado pelo presidente da instituição, Pedro Guimarães, nesta terça-feira (20).

Com o reajuste, os juros do financiamento ficarão entre 2,95% e 4,95% ao ano, somados ao IPCA. Segundo a Caixa, a nova medida fará com que os juros para a compra da casa própria sejam menores.

Atualmente, a taxa de juros cobrada pela instituição varia entre 8,5% a 9,75% ao ano, mais a Taxa Referencial (TR).

“No caso de um produto atrelado à taxa referencial de juros o mercado já falou ‘eu não vou comprar”, afirmou o presidente do banco estatal.

A medida é válida para o Sistema Financeiro de Habitação (SFH) para imóveis de até R$ 1,5 milhão. O sistema permite o uso do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Além disso, a nova linha de crédito também poderá ser utilizada para o Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) para imóveis estimados em mais de R$ 1,5 mi, sem a utilização do FGTS.

Saiba mais: Crédito imobiliário: taxa de juros indexada à inflação será menor do que a atual

A Caixa é responsável por 70% do crédito habitacional do Brasil. Dessa forma, é esperado que outras instituições também reduzam suas taxas para evitar uma possível perda de clientes.

Retomada da economia com novo financiamento da Caixa

A nova concessão de crédito imobiliário da Caixa corresponde a estratégia anunciada pelo governo de reanimar a economia.

No último mês, o governo federal anunciou a liberação de saques do FGTS e do PIS/Pasep. Segundo o presidente Jair Bolsonaro, a medida faz parte do plano de reaquecer o cenário econômico do País.

“É um paliativo? É, mas é aquela vitamina que você tem que tomar agora, o ano tá acabando, as sinalizações da Previdência com placar alto no primeiro turno já fizeram a bolsa se estabilizar acima de 100 mil pontos, o dólar também caiu um pouco”, disse Bolsonaro após o anúncio da liberação.

Por meio da liberação de recursos e da redução dos juros imobiliários, o governo pretende aumentar o poder de compra da população. Dessa forma, é esperado um impulso no crescimento da economia.

Índice de inflação

No Boletim Focus divulgado pelo Banco Central na última segunda-feira (19), a previsão para o IPCA foi reduzida para 3,71%.

O resultado continua abaixo da meta de inflação fixada para pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para este ano, de 4,25%.

Com o resultado da pesquisa, o índice apresenta uma alta na inflação de 2,42% ao ano. Em 12 meses, o número recuou para 3,22%, sendo assim, 0,15% abaixo do registrado em junho. A alta acumulada neste ano é menor do que a meta de 4,25% definida pelo governo para 2019.

Em contrapartida, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) registrou um crescimento de 0,09% no mês passado. A taxa serve para medir a prévia da inflação oficial. Em junho, o IPCA-15 foi de 0,06%.

O financiamento imobiliário da Caixa terá como base o índices de inflação oficial.

Compartilhe a sua opinião

Giovanna Almeida
Giovanna Oliveira escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, foi repórter do portal de jornalismo da ESPM-SP e produziu conteúdo para a Corinthians TV. É estudante da ESPM.